terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Iluminismo - resumo

Artigo sobre o iluminismo - características e principais representantes com questões para um melhor aprendizado

Iluminismo - introdução

Muitos pensadores que viveram nos séculos XVII e XVIII acreditavam que a razão poderia iluminar o mundo e os seres humanos. Iluminar, nesse caso, tem o sentido de explicar, de 'fazer compreender', abrir a mente a novas ideias. Esses pensadores foram chamados de iluministas, e o movimento que eles criaram recebeu o nome de Iluminismo ou Filosofia da Luzes.

Para compreender melhor o Iluminismo, convém lembrar que muitos dos pensadores que participaram desse movimento viviam sob o Antigo Regime: monarquias absolutistas, em que o rei, a nobreza e o clero acumulavam poder e privilégios, e as pessoas não podiam dizer livremente o que pensavam. Os Iluministas opunham-se a essa situação. Eram contrários ao autoritarismo dos reis, aos privilégios do nobreza e do clero, à intolerância religiosa e à falta de liberdade de expressão.


Mas no que os iluministas acreditavam ? Qual era para eles a chave para os problemas humanos ?


A razão era, para os Iluministas, o valor supremo. Só por meio da razão, isto é, do ato de pensar, os homens poderiam alcançar o esclarecimento, a luz. A maioria das pessoas, segundo esses pensadores, vivia mergulhada na ignorância, na superstição e no fanatismo religioso; só a razão as esclarecia.


Os Iluministas acreditavam que a razão devia penetrar em todas as atividades humanas, para destruir os preconceitos e a ignorância. Devia-se duvidar de tudo o que era aceito simplesmente porque havia sido assim sempre ou porque estava sendo dito por uma autoridade. Todo novo conhecimento devia estar aberto à crítica.


Otimismo, progresso e Deus


Um traço marcante dos Iluministas era o otimismo. Eles acreditavam que, ao espalhar-se entre os homens, a razão conduziria ao progresso. Com o passar do tempo, a ignorância, fruto da irracionalidade, desapareceria, e teríamos então uma humanidade esclarecida. Era essa crença no progresso constante da humanidade que os fazia otimistas. O triunfo da humanidade era para eles uma certeza.


Os Iluministas aplicavam-se no campo da ciência e encantavam-se com as descobertas científicas.

Um sinal do progresso da humanidade seria o desaparecimento das fronteiras políticas e culturais, e o surgimento de uma única cultura, partilhada por todos os homens. Para os pensadores iluministas, as criações nacionais, ou seja, tudo aquilo que era típico de determinado povo ou cultura, constituíam restos de um tempo de atraso e escuridão.

Da noção iluminista de progresso deriva a ideia de civilização que tais pensadores possuíam. Civilização para eles, era o que os europeus haviam criado. Todos os outros povos deveriam evoluir do estágio primitivo em que se encontravam para o da civilização. Assim, os asiáticos e africanos, vistos na Europa do século XVIII como povos "atrasados", poderiam alcançar a civilização entrando em contanto com os europeus. O progresso, para os iluministas, era linear e ilimitado.

Parte dos iluministas era materialista, mas a maioria acreditava em Deus e o consideravam a "razão suprema", ou o "relojoeiro do Universo", aquele que criou o mundo e o pôs para funcionar. Desde então, o mundo passou a funcionar como a engrenagem de um relógio em bom estado: de modo preciso e regido por leis naturais. Conhecer essas leis era sinal do progresso. Quanto à vida social, os iluministas consideravam que era o homem o responsável pelos males - a desigualdade, os conflitos, as guerras etc. - e era também o homem que, por suas ações, iluminadas pela razão, iria pôr fim a essas tragédias.

Principais características do Iluminismo

1. Busca de um cristianismo sem dogmas, sem revelação divina, sem mistérios e, sobretudo, sem milagres.

2. Inviolabilidade das leis da natureza: exclusão de qualquer intervenção sobrenatural (a natureza é movida por uma regularidade pontual e racional).

3. A razão como supremo critério de valor e de análise do real (o direito e as instituições não devem mais seguir preceitos supostamente divinos, mas humanos e racionais).

4. Liberalismo filosófico e religioso (que prepara o liberalismo econômico).

5. Otimismo: crença no progresso e na capacidade de se aperfeiçoar do gênero humano e de suas instituições.

6. França como centro de irradiação do Iluminismo para toda a Europa (obras de Voltaire, Diderot, etc.)

7. Despotismo esclarecido: monarcas absolutos realizaram reformas profundas, inspirados pelo Iluminismo: tolerância religiosa, limitação ou abolição dos privilégios do feudalismo, modernização do processo penal e outras reformas administrativas.
                                              
Principais pensadores iluministas

Jonh Locke e o liberalismo político


As ideias do inglês John Locke (1632-1704) ajudaram a derrubar o absolutismo na Inglaterra. Locke dizia que todos os homens, ao nascer, tinham direitos naturais: direito à vida, à liberdade, e à propriedade. Para garantir esses direitos naturais, os homens haviam criado governos. Se esses governos, contudo, não respeitassem a vida, a liberdade e a propriedade, o povo tinha o direito de se revoltar contra eles. As pessoas podiam contestar um governo injusto e não eram obrigadas a aceitar suas decisões.


Voltaire e a liberdade de expressão

O francês François-Marie Arouet (1694-1778), que se autodenominava Voltaire, ficou conhecido por dirigir duras críticas aos reis absolutistas e aos privilégios do clero e da nobreza. Por dizer o que pensava, foi preso duas vezes e, para escapar a uma nova prisão, refugiou-se na Inglaterra. Durante os três anos em que permaneceu naquele país, conheceu e passou a admirar as ideias políticas de John Locke.

Com base nessa vivência, Voltaire escreveu Cartas inglesas, obra na qual elogia a liberdade de pensamento e de religião e a obediência do rei inglês às leis do país. Com isso, Voltaire pretendia era criticar o absolutismo do rei da frança. Voltaire dedicou sua longa vida a lutar contra a ignorância, o preconceito e o fanatismo, em favor da liberdade, da justiça e da tolerância. É dele a conhecida frase: "Posso não concordar com nenhuma do que você disse, mas defenderei até a morte seu direito de dizê-lo".

Voltaire acredita que o rei deveria governar orientado por filósofos. Na opinião dele, os filósofos faziam parte da parte esclarecida que deveria guiar e iluminar o povo.


John Locke (1632 – 1704)

Montesquieu e a autonomia de poderes


O francês Montesquieu, foi um dos grandes filósofos políticos do Iluminismo. Ele tentou explicar as leis humanas e as instituições sociais: enquanto as leis físicas são regidas por Deus, as regras e instituições são feitas por seres humanos passíveis de falhas. Definiu três tipos de governo existentes: republicanos, monárquicos e despóticos, e organizou um sistema de governo que evitaria o absolutismo, isto é, a autoridade tirânica de um só governante. Fazia fortes críticas à sociedade francesa e européia e, principalmente, à religião católica e à igreja, sendo a primeira vez que isso aconteceu no século 18.

De Montesquieu, os farrapos utilizaram a idéia de divisão dos poderes, baseadas num sistema que estabeleceria uma união harmônica, buscando a estabilidade do grupo social. Era a adoção de um governo constitucional representativo.



Charles-Louis de Secondat, o Barão de Montesquieu (1689 - 1755) 

Rousseau e o contrato social


Rousseau escreveu dezenas de obras num estilo que poderíamos chamar de ensaio filosófico. Tendo nascido na Suíça, estabeleceu-se em Paris em 1742, onde fez amizade com os filósofos enciclopedistas, entre os quais Denis Diderot e Condillac.
"O Contrato Social" é considerado uma das obras fundamentais da filosofia política. Rousseau parte do pressuposto de que é impossível retornar ao estado de natureza. O homem em estado de natureza participa de uma condição sem lei nem moralidade. Só um contrato com seus semelhantes oferece as bases legítimas para uma vida em sociedade. É preciso, então, criar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa do uso da força. Longe de ser um pacto de submissão, o contrato social é um pacto de associação entre os homens. No estado civil, preconizado por Rousseau, o soberano é a vontade geral.
De Rousseau os liberais farroupilhas extraíram as idéias de liberdade ou direitos individuais do homem, que é bom em estado de natureza, podendo este, ser corrompido pelo meio social em que vive. Mas justifica o direito dos homens mudarem o governante se este não pertencer à vontade geral.

“(...) sempre haverá um grande número de tolos, e uma boa
multidão de patifes. Mas os pensadores, mesmo em número pequeno, serão respeitados [..] Esteja certo que tão logo as pessoas de bem se unam, nada mais poderá detê-las. [...] Chegou o tempo em que homens como você devem triunfar[...] Afinal, nosso partido já vence o deles em matéria de boa educação."
(Voltaier - Carta a Helvitus, em 15.9.1763)



O Liberalismo pode ser compreendido como uma espécie de ordem política baseada na liberdade individual dentro de uma lei. Este pensamento iniciou na Inglaterra por volta do século XVII com seu ápice no século XIX, servindo de inspiração para os movimentos revolucionários europeus e de base para a tradição política dos Estados Unidos.


Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)

A enciclopédia dos iluministas

A partir de 1751, foi publicada na França uma obra chamada Enciclopédia, composta de 35 volumes, que levou 21 anos para ser editada. A ideia era reunir numa só obra todo o conhecimento produzido pela humanidade até então.

O filósofo Denis Diderot (1713-1784) e o matemático Jean D'Alembert (1717-1776) coordenaram a edição da obra e convidaram, para escrever, os verbetes, artistas, filósofos, cientistas, médicos, teólogos e também artesãos, que forneceram informações sobre técnicas e equipamentos. Diderot escreveu que seu objetivo foi deixar os homens mais instruídos, tornando-os assim mais virtuosos e mais felizes.

Mesmo numa época em que o número de pessoas que sabiam ler era proporcionalmente muito menor do que hoje, a Enciclopédia foi um sucesso. Por fazer duras críticas aos reis absolutistas e à Igreja, a obra chegou a ser proibida e retirada de circulação pelo governo francês.

Adam Smith e o liberalismo econômico

Adam Smith (1723-1790) divergia dos fisiocratas em um ponto importante: para ele, a única fonte de riqueza era o trabalho, não a terra. Mas, assim como os fisiocratas, Smith também condenava o pacto colonial, isto é, a ideia de que a colônia só poderia comercializar com sua metrópole. Na oopinião dele, se houvesse livre comércio entre as nações, todas elas sairiam lucrando, pois cada uma produziria somente aquilo que conseguisse de melhor. As nações com perfil mais agrícola se dedicariam à agricultura, e as mais industrializadas se especializariam na indústria.

Essa ideia foi muito bem recebida pela Inglaterra, pois esse país estava se industrializando rapidamente e desejava ampliar o mercado para seus produtos industrializados. Por defender a livre concorrência entre as nações, indivíduos e empresas, Adam Smith ficou conhecido como o "pai do liberalismo econômico.

A divulgação das ideias iluministas

As ideias dos iluministas franceses e ingleses espalharam-se por cidades de reinos distantes. Entre as formas de propagação mais utilizadas estavam os panfletos, os livretos e os jornais clandestinos. Eles eram escritos por pessoas que esperavam obter dinheiro simplificando e resumindo ideias e o conhecimento dos pensadores iluministas. Muitos dos autores desses materiais de divulgação eram bons oradores e expunham suas ideias em praças públicas e cafés. O público que frequentava esses lugares tinha diversas origens sociais, com grande número de trabalhadores pobres e excluídos.

Despotismo Esclarecido e principais representantes

Na segunda metade do século XVIII, diversos governantes europeus procuraram pôr em prática certas ideias iluministas, sem no entanto abrir mão de seu poder absoluto. Por haverem tentado conciliar o absolutismo (ou despotismo) com princípios iluministas, ficaram conhecidos pelo nome de déspotas esclarecidos. Alguns autores chamam o despotismo esclarecido de "absolutismo ilustrado".
Os déspotas esclarecidos adotaram apenas as ideias iluministas que fossem compatíveis com seus interesses, rejeitando sistematicamente as propostas de liberdade política. Consequentemente, a prática do despotismo esclarecido dependeu da disposição mais ou menos favorável de cada governante.
Na França, os filósofos da Idade das Luzes e seus admiradores reuniam-se longamente para discutir as novas teorias. Na ilustração, em uma reunião realizada no salão de Madame Geoffrin, os presentes ouvem d'Alembert.

Os representantes mais destacados do despotismo esclarecido foram Frederico II da Prússia, Catarina II da Rússia, José II da Áustria, Carlos III da Espanha e o marquês de Pombal.

Despotismo esclarecido

Na Prússia, Frederico II (1740-1786), rei filósofo e amigo de Voltaire, instituiu o ensino primário obrigatório; e, apesar de luterano, convidou os jesuítas, expulsos de quase todos os reinos europeus, para lecionar na Prússia. Aboliu a tortura e reorganizou a justiça, dando aos juízes maior autonomia em suas decisões. Estimulou a economia por meio de medidas protecionistas - contrárias, aliás, às ideias iluministas. Por outro lado, preservou a ordem social existente, mantendo os camponeses sujeitos ao estamento aristocrático dos proprietários rurais (junkers).

Catarina II, imperatriz (czarina) da Rússia (1762-1796), nasceu e foi educada na Alemanha. Correspondeu-se regularmente com Voltaire e outros filósofos, o que contribuiu para projetar uma imagem positiva de seu governo junto às demais potências europeias. Procurando justificar o autoritarismo da czarina, Voltaire cunhou a expressão "déspota esclarecida", que se estenderia a outros governantes da época. No entanto, pode-se dizer que as reformas de Catarina foram superficiais. Ela estabeleceu a tolerância religiosa e incentivou a educação das camadas dominantes, o que levou ao afrancesamento da alta sociedade russa. Também estimulou o povoamento da Rússia Meridional, fixando colonos alemães a região do Volga. Mas em seu reinado a situação dos servos piorou,  pois Catarina Suprimiu um direito costumeiro que permitia aos camponeses, em certas circunstâncias, transferir-se para as terras de outro senhor. Essa proibição aumentou o poder dos proprietários sobre seus servos.

José II foi imperador do Sacro Império Romano-Germânico (1780-1790), mas sua autoridade efetiva restringia-se aos domínios - aliás extensos - da Dinastia de Habsburgo, sediada na Áustria. Esse soberano representa o exemplo mais completo do despotismo esclarecido, pois empreendeu numerosas reformas, ditadas por um racionalismo talvez demasiado rígido. Estabeleceu a igualdade de todos diante da lei e dos impostos, o que desagradou à nobreza. Aboliu a servidão, mas teve de enfrentar a resistência dos ex-servos, que não queriam atender à conscrição militar. Indispôs-se com a Igreja ao interferir no currículo dos seminários, dentro de uma perspectiva racionalista, e também porque permitiu a liberdade de cultos e abriu os empregos públicos para os não católicos. Uniformizou a administração em seus Estados e ampliou o número de escolas; mas a prevalência da língua alemã irritou as populações não-germânicas, sobretudo húngaros e belgas, que chegaram a se revoltar.

Na Espanha, o despotismo esclarecido do rei Carlos III (1759-1788), auxiliado por seu ministro Aranda, modernizou a administração - inclusive nas colônias, onde as instituições da mita e da encomenda foram suprimidas. Incentivou as manufaturas de luxo e de tecidos de algodão; diferentemente dos outros déspotas esclarecidos, liberalizou o comércio externo.

O exemplo do despotismo esclarecido em Portugal foi de marquês de Pombal, ministro de D. José I (1750-1777), tentou tirar o país de seu atraso secular. Para tanto, procurou aperfeiçoar a administração, estimulou a economia e modernizou o sistema de ensino. Criou diversas companhias controladas pela Coroa; algumas dominavam certas atividades produtivas (vinicultura, processamento do bacalhau, extração de diamantes) e outras monopolizavam o comércio em determinadas áreas coloniais. De todos os déspotas esclarecidos, Pombal foi o mais tirânico, recorrendo largamente à prisão, tortura e execução de adversários. Sob o pretexto de fortalecer a autoridade do rei, perseguiu violentamente a nobreza, que o temia e desprezava (Pombal era de origem burguesa). Anticlerical notório, foi o primeiro dirigente europeu a expulsar os jesuítas dos territórios que administrava.

Fontes: www.coladaweb.com/
               historiacsd.blogspot.com.br/
              mixhmix.blogspot.com.br/
             professor.bio.br/historia/

Questões de vestibular sobre o Iluminismo

1)  (UFPR 2010) A respeito do iluminismo, movimento filosófico que se difundiu pela Europa ao longo do século XVIII, considere as seguintes afirmativas:

Muitos filósofos franceses, entre eles Montesquieu, Voltaire e Diderot, foram leitores, admiradores e divulgadores da filosofia política produzida pelos ingleses, como John Locke com sua crítica ao absolutismo.

Quanto à organização do Estado, os filósofos iluministas não eram contra a monarquia, mas contra as ideias de que o poder monárquico fora constituído pelo direito divino e de que ele não poderia ser submetido a nenhum freio.
A descoberta da perspectiva e a valorização de temas religiosos marcaram as expressões artísticas durante o iluminismo.
Em Portugal, o pensamento iluminista recebeu grande impulso das descobertas marítimas.
Assinale a alternativa correta.

A) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.

B) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas 1, 2 e 4 são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.
E) Somente as afirmativas 2, 3 e 4 são verdadeiras.

2)  (UFF 2010) O escritor e filósofo francês Voltaire, que viveu no século XVIII, é considerado um dos grandes pensadores do Iluminismo ou Século das Luzes. Ele afirma o seguinte sobre a importância de manter acesa a chama da razão:


“Vejo que hoje, neste século que é a aurora da razão, ainda renascem algumas cabeças da hidra do fanatismo. Parece que seu veneno é menos mortífero e que suas goelas são menos devoradoras. Mas o monstro ainda subsiste e todo aquele que buscar a verdade arriscar-se-á a ser perseguido. Deve-se permanecer ocioso nas trevas? Ou deve-se acender um archote onde a inveja e a calúnia reacenderão suas tochas? No que me tange, acredito que a verdade não deve mais se esconder diante dos monstros e que não devemos abster-nos do alimento com medo de sermos envenenados”.


Identifique a opção que melhor expressa esse pensamento de Voltaire.


A) Aquele que se pauta pela razão e pela verdade não é um sábio, pois corre um risco desnecessário.

B) A razão é impotente diante do fanatismo, pois esse sempre se impõe sobre os seres humanos.
C) Aquele que se orienta pela razão e pela verdade deve munir-se da coragem para enfrentar o obscurantismo e o fanatismo.
D) O fanatismo e o obscurantismo são coisas do passado e por isso a razão não precisa mais estar alerta.
E) A razão envenena o espírito humano com o fanatismo.

3) (UFV) O Marquês de Pombal, ministro do rei D. José I (1750-1777), foi o responsável por uma série de reformas na economia, educação e administração do Estado e do império português, inspiradas na filosofia iluminista e na política econômica do mercantilismo, cabendo a ele a expulsão dos padres jesuítas da Companhia de Jesus dos domínios de Portugal.


O Marquês de Pombal foi um dos representantes do chamado:


a) Despotismo Esclarecido.

b) Socialismo Utópico.
c) Socialismo Científico.
d) Liberalismo.
e) Parlamentarismo Monárquico.

4) (FATEC) As grandes revoluções burguesas do século XVIII refletem, em parte, algumas ideias dos filósofos iluministas, dentre as quais podemos destacar a que:


a) apontou a necessidade de limitar a liberdade individual para impedir que o excesso degenerasse em anarquismo.

b) acentuou que o Estado não possui poder ilimitado, o qual nada mais é do que a somatória do poder dos membros da sociedade.
c) visou defender a tese de que apenas a federalização política é compatível com a democracia orgânica.
d) mostrou que, sem centralização e dependência dos poderes ao Executivo, não há paz social.
e) procurou salientar que a sociedade industrial somente se desenvolverá a partir de minucioso planejamento econômico.

5) (Fuvest) Sobre o chamado despotismo esclarecido é correto afirmar que


a) foi um fenômeno comum a todas as monarquias europeias, tendo por característica a utilização dos princípios do Iluminismo.

b) foram os déspotas esclarecidos os responsáveis pela sustentação e difusão das ideias iluministas elaboradas pelos filósofos da época.
c) foi uma tentativa bem intencionada, embora fracassada, das monarquias europeias reformarem estruturalmente seus Estados.
d) foram os burgueses europeus que convenceram os reis a adotarem o programa de modernização proposto pelos filósofos iluministas.
e) foi uma tentativa, mais ou menos bem sucedida, de algumas monarquias reformarem, sem alterá-las, as estruturas vigentes.

6)  (Fuvest) "Um comerciante está acostumado a empregar o seu dinheiro principalmente em projetos lucrativos, ao passo que um simples cavalheiro rural costuma empregar o seu em despesas. Um frequentemente vê seu dinheiro afastar-se e voltar às suas mãos com lucro; o outro, quando se separa do dinheiro, raramente espera vê-lo de novo. Esses hábitos diferentes afetam naturalmente os seus temperamentos e disposições em toda espécie de atividade. O comerciante é, em geral, um empreendedor audacioso; o cavalheiro rural, um tímido em seus empreendimentos..."

                (Adam Smith, A RIQUEZA DAS NAÇÕES, Livro III, capítulo 4)
           
Neste pequeno trecho, Adam Smith

a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos.

b) mostra as vantagens do capitalismo comercial em face da estagnação medieval.
c) defende a lucratividade do comércio contra os baixos rendimentos do campo.
d) critica a preocupação dos comerciantes com seus lucros e dos cavalheiros com a ostentação de riquezas.
e) expõe as causas da estagnação da agricultura no final do século XVIII.

7) (Mackenzie) Assinale a alternativa em que aparecem as principais ideias de Jean Jacques Rousseau em sua obra O CONTRATO SOCIAL.


a) Cada homem é inimigo do outro, está em guerra com o próximo e por esta razão cria o Estado para sua própria defesa e proteção.

b) O Estado é uma realidade em si e é necessário conservá-lo, reforçá-lo e eventualmente reformá-lo, reconhecendo uma única finalidade: sua prosperidade e grandeza.
c) O governante deve dar um bom exemplo para que os súditos o sigam.  Através da educação e de rituais, os homens de capacidade aprenderiam e transmitiriam os valores do passado.
d) Que as classes dirigentes tremam ante a ideia de uma revolução! Os trabalhadores devem proclamar abertamente que seu objetivo é a derrubada violenta da ordem social tradicional.
e) A única esperança de garantir os direitos de cada indivíduo é a organização da sociedade civil, cedendo todos os direitos à comunidade, para que seja politicamente justo o que a maioria decidir.

8) (Mackenzie) O Despotismo Esclarecido, regime de governo adotado em alguns países da Europa no século XVIII, caracterizava-se por:


a) equilibrar o poder da burguesia financeira com a nobreza feudal.

b) impor o poder parlamentar sobre o poder monárquico.
c) tentar conciliar os princípios do absolutismo com as ideias iluministas.
d) difundir monarquias constitucionais em todos os reinos europeus, segundo os princípios liberais.
e) atribuir ao povo a participação no poder político.

9) (Mackenzie) Sobre o iluminismo, é correto afirmar que:


a) defendia a doutrina de que a soberania do Estado absolutista garantiria os direitos individuais e eliminaria os resquícios feudais ainda existentes.

b) propunha a criação de monopólios estatais e a manutenção da balança de comércio favorável, para assegurar o direito de propriedade.
c) criticava o mercantilismo, a limitação ao direito à propriedade privada, o absolutismo e a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.
d) acreditava na prática do entesouramento como meio adequado para eliminar as desigualdades sociais e garantir as liberdades individuais.
e) consistia na defesa da igualdade de direitos e liberdades individuais, proporcionada pela influência da Igreja Católica sobre a sociedade, através da educação.

10) (Uff) O Iluminismo do século XVIII abrigava, dentre seus valores, o racionalismo. Tal perspectiva confrontava-se com as visões religiosas do século anterior. Esse confronto anunciava que o homem das luzes encarava de frente o mundo e tudo nele contido: o Homem e a Natureza. O iluminismo era claro, com relação ao homem: um indivíduo capaz de realizar intervenções e mudanças na natureza para que essa lhe proporcionasse conforto e prazer.

Seguindo esse raciocínio, pode-se dizer que, para o Homem das Luzes, a Natureza era:

a) misteriosa e incalculável, sendo a base da religiosidade do período, o lugar onde os homens reconheciam a presença física de Deus e sua obra de criação;

b) infinita e inesgotável, constituindo-se um campo privilegiado da ação do homem, dando em troca condição de sobrevivência, principalmente no que se refere ao seu sustento econômico;
c) apenas reflexo do desenvolvimento da capacidade artística do homem, pois ajudava-o a criar a ideia de um progresso ilimitado relacionado à indústria;
d) um laboratório para os experimentos humanos, pois era reconhecida pelo homem como a base do progresso e entendimento do mundo; daí a fisiocracia ser a principal representante da industrialização iluminista;
e) a base do progresso material e técnico, fundamento das fábricas, sem a qual as indústrias não teriam condições de desenvolver a ideia de mercado.

11)  (Ufv) O século XVIII é conhecido como o "século das luzes". Durante aquele período, as realizações no campo da filosofia, das letras e da ciência alimentavam esperanças de que a razão humana pudesse remodelar as instituições sociais e políticas, eliminando as injustiças e as superstições. Por DESPOTISMO ILUSTRADO entende-se:


a) o novo conjunto de ideias filosóficas, políticas e sociais que emergem durante os séculos XVII e XVIII como crítica ao Estado absoluto.

b) um estilo de governo, em voga entre os "reis filósofos" do século XVIII, que pretendia reformar "pelo alto" as instituições consideradas antiquadas.
c) o mesmo que liberalismo, defendendo a ampliação dos direitos civis e liberdades políticas dos cidadãos.
d) a eliminação, na filosofia e na ciência, de toda explicação ou argumento de fundo religioso, mágico ou metafísico.
e) as formas de governo características de países do Oriente como a Pérsia, a Índia e a China.

12) Os governantes absolutistas de alguns países europeus adotaram certos princípios do iluminismo, promovendo em seus estados uma série de reformas nos campos social e econômico. Esses governantes ficaram conhecidos como:


a) Iluministas

b) Senhores Feudais
c) Déspotas esclarecidos 
d) fisiocratas
e) conservadores

13) (UFPA 2011) O texto abaixo recupera uma obra iluminista dirigida por Denis Diderot e Jean Le Rond d’ Alembert em 1772 na França intitulada de Enciclopédia ou Dicionário racional das ciências, das artes e dos ofícios. No texto afirma-se que: na Enciclopédia não havia área do engenho humano que não tivesse sido coberta. Ali se observava a confiança de que os homens eram, ou poderiam ser em breve, senhores de seu próprio destino, que poderiam moldar o mundo e a sociedade de acordo com as suas conveniências e vantagens. Era o poder da razão. Por isso mesmo a Enciclopédia não foi universalmente aceita. Poderes absolutistas civis e religiosos foram seus combatentes. 

(DENT, N. J. H.. Dicionário de Rousseau. Rio de Janeiro: Zahar, 1996, p. 125. Texto adaptado). 

A Enciclopédia proposta por homens iluministas como Diderot e D’Alembert foi criticada no contexto francês do final do século XVIII, porque nesse momento o absolutismo e razão significavam 


a) modos de viver compatíveis, nos quais as novas e modernas ideias iluministas eram absorvidas pelo reis absolutistas, que percebiam nelas as vantagens de se moldar o mundo à sua forma e maneira, tal qual Diderot em sua Enciclopédia, o que possibilitou o advento da monarquia constitucional. 

b) maneiras de fazer política muito diversas. Para os racionalistas, a política absolutista deveria ser reestruturada ou revolucionada, pois os novos saberes deveriam vir das experiências e das novas ciências e não de Deus e seus emissários. 
c) formas incompatíveis de fazer política, pois o povo francês era governado por um velho monarca autoritário que se mantinha no poder devido à ignorância do povo. Já livros como a Enciclopédia seriam a base da nova sociedade revolucionária e anarquista proposta por Diderot. 
d) formas de governo inconciliáveis, pois o absolutismo era autoritário e ultrapassado. Já os enciclopedistas, como Diderot e D’ Alembert, desejavam a derrubada do Rei pelos revolucionários comunistas, formadores de ideias socialistas vinculadas ao marxismo contemporâneo. 
e) maneiras de governar muito distintas, pois os enciclopedistas eram homens de letras, que iniciavam carreira política nas fileiras dos liberais exaltados, e o monarca absolutista era do partido conservador francês. 

14) (Upe 2010) As ideias liberais refizeram reflexões e anunciaram novas perspectivas sociais. Um dos seus pensadores mais famosos, Locke, defendia o(a) 


a) fim da propriedade privada e da escravidão, com a queda da sociedade colonial e o fim do mercantilismo. 

b) consolidação da monarquia constitucional, destacando a universalidade do conhecimento e as possibilidades de massificação da cultura. 
c) pensamento de Descartes e o fim do idealismo, ressaltando o valor de democracia e da igualdade social na Europa do século XVII. 
d) liberdade natural dos humanos, afirmando a necessidade da propriedade privada e combatendo o absolutismo. 
e) crescimento do capitalismo, sem afetar a força política da nobreza e dos poderes dos monarcas absolutistas da época. 

15) O Iluminismo, movimento intelectual do século XVIII, representou o (a);


a) afirmação das ideias revolucionárias da burguesia;

b) renascer do pensamento clássico greco-romano;
c) revolução ideológica da aristocracia;
d) expansão do pensamento religioso protestante;
e) fortalecimento do Estado absolutista.

16) Assinale a alternativa que apresenta um princípio filosófico do Século das Luzes.


a) Crença na razão como fonte para a crítica social e política.

b) Defesa do ideal monárquico para a garantia da unidade política.
c) Ideia do Direito Divino dos Reis para legitimar o Absolutismo.
d) Ideia de indivisibilidade do Estado em poderes independentes.

17)  A partir do século XVI, a palavra T R A B A L H O perde seu conceito negativo associado à idéia de pobreza e sofrimento, adquirindo uma conotação positiva de dignidade, porque:  


a)    o trabalho passa a ser exercido também pelas classes dominantes.

b)    a campanha pela abolição do trabalho escravo na América se intensifica.
c)    os equipamentos das manufaturas exigem trabalhadores qualificados.
d)    o trabalho é fonte de toda a produtividade e riqueza material.  
e)    a doutrina calvinista justifica o trabalho como fonte de salvação.

18) As ideias dos diversos filósofos do Iluminismo, que tanta importância exercem nos movimentos sociais dos séculos XVIII e XIX, têm como princípio comum:

a)     a república como único regime político democrático.

b)     a razão como portadora do progresso e da felicidade.  
c)     as classes populares como base do poder político.
d)     o calvinismo como justificativa de riqueza material.
e)     a igualdade social como alicerce do exercício da cidadania.

19) O Iluminismo representa a visão de mundo da intelectualidade do século XVIII, NÃO podendo ser apontado como parte do seu ideário:  


a)    o combate às injustiças sociais e aos privilégios aristocráticos.

b)    o fortalecimento do Estado e o cerceamento das liberdades.  
c)    o anticolonialismo e o repúdio declarado à escravidão.
d)    o triunfo da razão sobre a ignorância e a superstição.
e)    o anticlericalismo e a oposição à intolerância religiosa.

20) Diderot foi uma figura de destaque no movimento iluminista e juntamente com D’Alembert dirigiu a Enciclopédia - grande síntese do debate e das descobertas intelectuais da época. Eles defendiam idéias que assustavam os mais conservadores. Jean-Jacques Rousseau, por exemplo, chegou a afirmar que:  


a)  todos deviam ser iguais perante a lei, embora mantivessem sua admiração pela monarquia.

b)  a sociedade corrompia os homens que tinham uma bondade original.
c)  o Estado devia ser controlado por uma elite intelectual, lembrando a República de Platão.
d)  o socialismo traria benefícios para todos.
e)  a sociedade moderna devia se inspirar no modelo grego de cidadania, preservando os direitos da aristocracia.

21) Sobre Adam Smith, assinale a afirmativa INCORRETA:

a) escreveu a obra "A Riqueza das Nações".
b) propunha uma sociedade igualitária a partir da análise científica da História.
c) era contrário ao mercantilismo.
d) é considerado o pai do liberalismo econômico.
e) defendia o trabalho como a única fonte geradora de riquezas.

22)  "Os filósofos adulam os monarcas e os monarcas adulam os filósofos." Assim se referia o historiador Jean Touchard à forma de Estado europeu que floresceu na segunda metade do século XVIII. Os "reis  filósofos", temendo revoluções, introduziram reformas inspiradas nos ideais iluministas.

Estas observações se aplicam:

a) às monarquias constitucionais;
b) ao despotismo esclarecido;
c) às monarquias parlamentares;
d) ao regime social-democrático;
e) aos principados ítalo-germânicos.

23)  (CESGRANRIO) Os déspotas esclarecidos procuravam modificar os métodos e objetivos de ação do Estado.
Em geral, apresentavam-se apenas como "os primeiros servidores do próprio Estado".

Entre as manifestações do despotismo esclarecido, pode-se incluir:

a) a adoção da fraseologia dos filósofos iluministas para a modernização de seus respectivos Estados;
b) seu sucesso em países onde a burguesia era muito forte e atuante;
c) a durabilidade e coerência de suas reformas implantadas nos países da Europa Ocidental;
d) a adaptação de princípios novos a Estados com condições socioeconômicos e políticas bastante avançadas;
e) a destruição da religião revelada e da autoridade da Igreja através de precoces idéias de materialismo
histórico.

 24)  (CESGRANRIO) Assinale a alternativa incorreta:

Ao criticar o mercantilismo, os fisiocratas visavam:

a) eliminar o mercantilismo do Estado na vida econômica;
b) abolir os monopólios e privilégios;
c) permitir a livre circulação monetária;
d) desenvolver as colônias;
e) dar ênfase à agricultura como principal setor da atividade econômica.

25) As críticas ao Antigo Regime, efetuadas principalmente pelos filósofos e economistas, deram origem a um importante movimento intelectual conhecido como iluminismo. Esses pensadores:

a) defendiam o intervencionismo estatal na área econômica;
b) rejeitavam as leis naturais por serem irracionais;
c) apoiavam o Estado absolutista e o princípio estamental de organização social;
d) pregavam  o respeito às liberdades individuais e a defesa da propriedade;
e) repudiavam a extinção do monopólio metropolitano.

26) Representava o pensamento das camadas populares, ao afirmar que a fonte do poder era o próprio
povo. Em seu livro Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens, afirma que "o primeiro
que concebeu a idéia de cercar uma parcela de terra e dizer 'isto é meu', e que encontrou gente suficientemente ingênua que lhe desse crédito, esse foi o autêntico fundador da sociedade civil. De quantos delitos, guerras, assassínios, desgraças e horrores teria livrado o gênero humano aquele que, arrancando as estacas e enchendo os sulcos divisórios, gritasse: 'cuidado, não deis crédito a esse trapaceiro, perecereis se esquecerdes que a terra pertence a todos'."

A que filósofo iluminista refere-se o texto?

a) Voltaire
b) Montesquieu
c) Rousseau
d) Denis Diderot
e) Jean d'Alembert

27) (UERJ)



No contexto da expansão capitalista no século XIX, uma das ideias centrais do Iluminismo, de acordo com o texto, está associada diretamente à valorização da:
(A) superioridade técnica
(B) soberania econômica
(C) liberdade política
(D) razão científica
28) (FUVEST) "Quando na mesma pessoa, ou no mesmo corpo de magistrados, o poder legislativo se junta ao executivo, desaparece a liberdade... Não há liberdade se o poder judiciário não está separado do legislativo e do executivo... Se o judiciário se unisse com o executivo, o juiz poderia ter a força de um opressor. E tudo estaria perdido se a mesma pessoa ou o mesmo corpo de nobres, de notáveis, ou de populares, exercesse os três poderes: o de fazer as leis, o de ordenar a execução das resoluções públicas e o de julgar os crimes e os conflitos dos cidadãos". (Montesquieu, DO ESPÍRITO DAS LEIS, 1748) 
a) Qual o tema do texto? 
b) Explique o contexto histórico em que foi produzido.
29) (UNICAMP) Para os pensadores do século XVII, precursores do Iluminismo, a busca do conhecimento deveria ser guiada pela razão.
a) Aponte três características do pensamento científico do século XVII.
b) Cite dois precursores do Iluminismo.
30) (UNICAMP) O princípio da divisão do Estado em três poderes independentes - legislativo, executivo e judiciário - foi proposto pelos defensores das formas constitucionais de governo a partir do século 17, na Inglaterra, até o final do século 18, na França. Que tipo de sociedade e de organização estatal eles combatiam e qual forma de governo almejavam implantar?
31) (UNICAMP) O pensamento iluminista do século XVIII tem na ENCICLOPÉDIA, dirigida por Diderot e d Alembert, uma obra de 35 volumes, editada entre 1751 e 1780, que reúne a totalidade dos conhecimentos da época. Por usarem os princípios da razão para questionar os fundamentos da sociedade em que viviam, os enciclopedistas foram considerados defensores de um pensamento revolucionário. 
a) Qual a característica principal do pensamento das luzes? 
b) O que significa afirmar que esses pensadores usavam em suas críticas sociais os princípios da razão? 
c) Contra quais valores da época se dirigiam as críticas dos pensadores iluministas?
32) (FAAP) Os pensadores do liberalismo econômico, como Adam Smith, Malthus e outros, defendiam:
a) intervenção do Estado na economia
b) o mercantilismo como política econômica nacional
c) socialização dos meios de produção
d) liberdade para as atividades econômicas
e) implantação do capitalismo de Estado
33) (FAAP) "A população, quando não controlada, aumenta numa razão geométrica. A subsistência aumenta apenas em proporção aritmética... ... Isso significa um controle forte e constante sobre a população, provocado pela dificuldade de subsistência. Essa dificuldade deve recair em alguma parte e deve necessariamente ser fortemente sentida por grande parte da humanidade... ..." O autor desse texto só pode ser:
a) Pascal
b) Karl Marx
c) Adam Smith
d) Ricardo
e) Malthus
34) (FATEC) As grandes revoluções burguesas do século XVIII refletem, em parte, algumas idéias dos filósofos iluministas, dentre as quais podemos destacar a que
a) apontou a necessidade de limitar a liberdade individual para impedir que o excesso degenerasse em anarquismo.
b) acentuou que o Estado não possui poder ilimitado, o qual nada mais é do que a somatória do poder dos membros da sociedade.
c) visou defender a tese de que apenas a federalização política é compatível com a democracia orgânica.
d) mostrou que, sem centralização e dependência dos poderes ao Executivo, não há paz social.
e) procurou salientar que a sociedade industrial somente se desenvolverá a partir de minucioso planejamento econômico.
35) (UNB) Baseados no Iluminismo, particularmente no pensamento de Voltaire, os soberanos da Prússia, Rússia, Áustria, Espanha e Portugal procuraram adequar as estruturas econômicas de seus países:

a) A uma política autoritária, com medidas de caráter liberal com grande participação popular.
b) Ao capitalismo que começava a se impor com nitidez.
c) Às idéias da Ilustração, oriundas da burguesia, concretizando-as com sua efetiva participação.
d) À modernização mediante grande desenvolvimento comercial e alto índice de urbanização.
e) A uma política modernizadora, de caráter liberal e participativo.

36) :"Amigo e correspondente de Voltaire, gabava-se de ser um rei filósofo . Aplicou apenas os princípios compatíveis com o interesse do Estado prussiano. Favoreceu a instrução popular, aboliu a tortura, tornou a justiça mais rápida e menos custosa... Tolerante... acolheu os jesuítas, então expulsos dos Estados católicos". Leia com atenção o trecho anterior e: 

a) ofereça subsídios sobre o contexto histórico que produziu, na segunda metade do século XVIII, um movimento de reformas; 
b) identifique e indique o nome do monarca que cuidou mais da realidade prussiana e menos da aplicação das idéias novas; 
c) enumere os abusos e os preconceitos que Voltaire mais combateu.

37) (FUVEST) Aponte as principais críticas feitas pelo Iluminismo à sociedade do Antigo Regime.

38) (MACKENZIE) Adam Smith, em "A Riqueza das Nações", assentou as bases do liberalismo econômico, cujos princípios são:

a) igualitarismo, criação dos falanstérios, fazendas coletivas agro-industriais e liberdade de comércio.
b) colônias autogeridas, erradicação do Estado, mais-valia e autogestão industrial.
c) capitalismo comercial, absolutismo, metalismo e intervenção do Estado na economia.
d) respeito às leis naturais da economia, liberdade de contrato de trabalho e liberdade de comércio e produção.
e) socialização dos meios de produção, livre concorrência, fim das desigualdades sociais e nacionalização das fábricas.

39) (UECE) Identifique, nas sentenças a seguir citadas, aquela que expressa o pensamento de Montesquieu:

a) "É uma verdade eterna: qualquer pessoa que tenha o poder, tende a abusar dele. Para que não haja abuso, é preciso organizar as coisas de maneira que o poder seja contido pelo poder".
b) "(...) é preciso (...) encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de cada associação, de qualquer força comum, e pela qual, cada um, não obedeça senão a si mesmo, ficando assim tão livre quanto antes."
c) "O Estado está obrigado a proporcionar trabalho ao cidadão capaz, e ajuda e proteção aos incapacitados. Não se pode obter tais resultados a não ser por um Poder Democrático."
d) "A única maneira de erigir-se um poder, capaz de defendê-los contra a invasão e danos infligidos, uns contra os outros (...) consiste em conferir todo o poder e força a um só homem."

40) (FAAP) Características do Iluminismo, exceto:

a) derrubada dos conceitos tradicionais, apoiada na ascensão da burguesia, que pretendia a instalação de uma sociedade de classes.
b) revisão da Teoria do Direito Divino como ilegítima e irracional
c) crítica à Igreja, base de sustentação teórica e material do absolutismo
d) governo nacional seria o voltado para o povo e para a satisfação de seus desejos. Envolvimento de Locke, Voltaire e Rousseau
e) Teocentrismo, em coincidência com o ideal Barroco.

41) (CESGRANRIO)  Analise as definições a seguir, relativas às orientações econômicas que estão presentes na formação do mundo burguês: I - O mercantilismo é a política econômica dos Estados modernos europeus numa fase de acumulação primitiva do capital. II - O fisiocratismo valorizava a terra como única possibilidade de riqueza, incentivando a produção agrícola e mantendo o poder das antigas senhorias. III - O liberalismo é a expressão política e ideológica dos movimentos revolucionários do final do século XVIII, como a Revolução Francesa e a Revolução Industrial. IV - A economia clássica, associada a Adam Smith, é a forma mais desenvolvida da economia medieval, comprometida com o absolutismo monárquico. Assinale a opção que apresenta as afirmativas corretas:

a) Somente I e III.
b) Somente I, II e IV.
c) Somente I, III e IV.
d) Somente II e IV.
e) Somente II, III e IV.

42) (CESGRANRIO) O movimento conhecido como Ilustração ou Iluminismo marcou uma revolução intelectual, ocorrida na sociedade européia ao longo do século XVIII. O Iluminismo, em seu âmbito intelectual, expressou a:

a) negação do humanismo renascentista baseado no experimentalismo, na física e na matemática.
b) aceitação do dogmatismo católico e da escolástica medieval.
c) defesa dos pressupostos políticos e das práticas econômicas do Estado do Antigo Regime.
d) consolidação do racionalismo como fundamento do conhecimento humano.
e) supremacia da idéia de providência divina para a explicação dos fenômenos naturais.

43) (FUVEST) "Um comerciante está acostumado a empregar o seu dinheiro principalmente em projetos lucrativos, ao passo que um simples cavalheiro rural costuma empregar o seu em despesas. Um freqüentemente vê seu dinheiro afastar-se e voltar às suas mãos com lucro; o outro, quando se separa do dinheiro, raramente espera vê-lo de novo. Esses hábitos diferentes afetam naturalmente os seus temperamentos e disposições em toda espécie de atividade. O comerciante é, em geral, um empreendedor audacioso; o cavalheiro rural, um tímido em seus empreendimentos..." (Adam Smith, A RIQUEZA DAS NAÇÕES, Livro III, capítulo 4) Neste pequeno trecho, Adam Smith 

a) contrapõe lucro a renda, pois geram racionalidades e modos de vida distintos. 
b) mostra as vantagens do capitalismo comercial em face da estagnação medieval. 
c) defende a lucratividade do comércio contra os baixos rendimentos do campo. 
d) critica a preocupação dos comerciantes com seus lucros e dos cavalheiros com a ostentação de riquezas. 
e) expõe as causas da estagnação da agricultura no final do século XVIII.

44) (UEL) "A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão teria grande repercussão no mundo inteiro. Este documento é um manifesto contra a sociedade hierárquica de privilégios nobres, mas não um manifesto a favor de uma sociedade democrática e igualitária. Os homens nascem e vivem livres e iguais perante a lei, dizia seu primeiro artigo; mas também prevê a existência de distinções sociais, ainda que somente no terreno da utilidade comum ..." Assinale a alternativa que identifica um dos artigos da Declaração que prevê a distinção a que o texto se refere.

a) "A propriedade privada é um direito natural, sagrado, inalienável e inviolável."
b) "Os cidadãos de conformidade com suas posses devem contribuir com as despesas da administração pública."
c) "A garantia dos direitos do homem e do cidadão necessita de força pública que deve ser instituída em benefício de todos..."
d) "A lei só tem direito de proibir as ações que sejam prejudiciais à sociedade."
e) "Ninguém pode ser molestado por suas opiniões, mesmo religiosas, desde que sua manifestação não perturbe a ordem pública...".

45) (PUC) Leia o texto a seguir e extraia a ideia central: "São verdades incontestáveis para nós: todos os homens nascem iguais; o Criador lhes conferiu certos direitos inalienáveis, entre os quais os de vida, o de liberdade e o de buscar a felicidade; para assegurar esses direitos se constituíram homens-governo cujos poderes justos emanam do consentimento dos governados; sempre que qualquer forma de governo tenda a destruir esses fins, assiste ao povo o direito de mudá-la ou aboli-la, instituindo um novo governo cujos princípios básicos e organização de poderes obedeçam às normas que lhes pareçam mais próprias para promover a segurança e a felicidade gerais." (Trecho da" Declaração de Independência dos Estados Unidos da América", Ministro das Relações Exteriores, EUA.) A ideia central do texto é: 

a) A forma de governo estabelecida pelo povo deve ser preservada a qualquer preço. 
b) A realização dos direitos naturais independem da forma, dos princípios e da organização do governo. 
c) Cabe ao povo determinar as regras sob as quais será governado. 
d) Todos os homens têm direitos e deveres. 
e) Cabe aos homens-governo estabelecer as regras para o povo.

46) (UNIRIO) Os patrões não querem saber se ficamos inúteis pelo excesso de serviço. Olhe vá à Marítima, ao Mercado. Encontrará muitos dos nossos arrebentados, esmolando, apanhando restos de comida. Quando se aproximam das casas às quais deram toda a vida, correm-nos! Que foi fazer lá? Trabalhou? Pagaram-no, rua! Toda a fraternidade universal se cifra neste horror! (RIO, João do. In:BARRETO, Paulo. A ALMA ENCANTADORA DAS RUAS. Rio de Janeiro, Ed. Das Organizações Simões, 1951, p.149) Esta descrição de um estivador no Rio de Janeiro, da virada do século XIX para o XX, retrata a falta de assistência recorrente, sob a influência do modelo liberal adotado no Brasil. Segundo os princípios do laissez faire podemos afirmar corretamente que:

a) o mercado deveria regular a distribuição dos benefícios, sem a intervenção do Estado, refletindo a distribuição desigual de capacidade e talentos individuais na sociedade.
b) os trabalhadores detinham os privilégios de atendimento do Estado, com assistência à velhice e à infância provendo o emprego e a moradia da maior parte da população.
c) os operários eram estimulados pelo Estado a se organizar em sindicatos de categoria, garantidos pela proteção do Estado de bem-estar social e o estímulo ao emprego ocorria com igualdade e liberdade.
d) os empresários liberais garantiam os benefícios de seus empregados e familiares ainda que não pudessem mais trabalhar, recebendo subsídios do Estado previdenciários e intervencionista.
e) as elites empresariais, reguladas por leis democráticas de inspiração liberal, garantiam os benefícios previdenciários de seus empregados, sem a intervenção do Estado.

47) (UNIRIO) Entrevista: (...) Pergunta: Falemos do horizonte utópico do historiador. Essa é uma orientação que deriva da figura de Marc Bloch e, de um modo geral, de toda a escola dos Annales. Nesse sentido, o senhor confere grande importância à educação, à utopia educacional. Jacques Le Goff. O senhor tem razão. Acho que na tradição do Iluminismo do século XVIII, temos procurado reafirmar a importância do ENSINO. Mas enquanto os homens daquela época atribuíam importância central à filosofia, às ciências naturais e à técnica, nós incluímos a história (...) (Folha de São Paulo, CADERNO MAIS, 28/09/97, p.08) 

a) Caracterize o Iluminismo utilizando a fala do historiador Jacques Le Goff. 
b) Os pressupostos iluministas influenciaram Pombal, que promoveu várias reformas no Brasil colônia. Cite duas delas.

48) (UFV) O século XVIII é conhecido como o "século das luzes". Durante aquele período, as realizações no campo da filosofia, das letras e da ciência alimentavam esperanças de que a razão humana pudesse remodelar as instituições sociais e políticas, eliminando as injustiças e as superstições. Por DESPOTISMO ILUSTRADO entende-se:

a) o novo conjunto de idéias filosóficas, políticas e sociais que emergem durante os séculos XVII e XVIII como crítica ao Estado absoluto.
b) um estilo de governo, em voga entre os "reis filósofos" do século XVIII, que pretendia reformar "pelo alto" as instituições consideradas antiquadas.
c) o mesmo que liberalismo, defendendo a ampliação dos direitos civis e liberdades políticas dos cidadãos.
d) a eliminação, na filosofia e na ciência, de toda explicação ou argumento de fundo religioso, mágico ou metafísico.
e) as formas de governo características de países do Oriente como a Pérsia, a Índia e a China.

49) (ENEM) Do ponto de vista político, podemos considerar o texto como uma tentativa justificar:

a) a existência do governo como um poder oriundo da natureza.
b) a origem do governo como uma propriedade do rei.
c) o absolutismo monárquico como uma imposição da natureza humana.
d) a origem do governo como uma proteção à vida, aos bens e aos direitos.
e) o poder dos governantes, colocando a liberdade individual acima da propriedade.

50) (FGV) Sobre as descobertas científicas do século XVII, é correto afirmar que:

a) romperam com sistema hermético, de Galileu Galilei, impondo um modelo experimental para verificação dos fenômenos naturais;
b) recuperaram o modelo aristotélico de universo, rompendo, portanto, com a concepção propagada pela Igreja medieval de corpos celestes estáticos;
c) romperam com sistema hermético, de Galileu Galilei, impondo um modelo experimental aristotélico para verificação dos fenômenos naturais;
d) a partir do modelo experimental, romperam com o sistema hermético de Aristóteles sustentado pela Igreja Medieval;
e) recuperaram o modelo aristotélico de cosmos, rompendo, portanto, com a concepção propagada pela Igreja medieval do universo em movimento.

51) O iluminismo do século XVIII foi responsável por novas idéias e possibilidades de leitura do mundo e da sociedade. Considere desdobramentos da afirmativa acima e numere a coluna inferior de acordo com a superior. 

(1) Obra de relevante importância dentre as produzidas pelos filósofos das luzes. 
(2) Empreendimento literário-científico que pretendeu sistematizar todo o conhecimento da época. 
(3) Lema central das idéias de oposição ao Antigo Regime, presente na propaganda da Revolução Francesa. 
(4) Principal idéia das teorias iluministas acerca do desenvolvimento da história humana. 
(5) Síntese do pensamento jacobino na etapa final da Revolução Francesa. ( ) O Contrato Social de J. J. Rousseau ( ) A Enciclopédia orientada por Diderot e D Alembert ( ) Progresso ( ) Liberdade, Igualdade e Fraternidade Assinale a opção que apresenta a seqüência correta da numeração.

a) 1, 2, 4, 3
b) 2, 1, 3, 4
c) 2, 3, 4, 5
d) 4, 3, 2, 5
e) 5, 2, 1, 3

52) (UFSC) Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S) nas suas referências ao Iluminismo.

01. O Iluminismo, movimento intelectual do século XVIII, caracterizou-se pelas críticas ao absolutismo monárquico, pela defesa da razão e da liberdade dos indivíduos.
02. A fé cristã, associada à razão, foi considerada pelos iluministas a ferramenta necessária para o desenvolvimento das ciências. 
04. Os pensadores iluministas também se dedicaram às ciências econômicas. Entre eles, destacaram-se os fisiocratas franceses. 
08. Os iluministas defendiam o absolutismo monárquico como a forma ideal de governo, e a revelação divina como instrumento da ciência. 
16. Os iluministas consideravam a razão como a luz capaz de iluminar o pensamento humano e de permitir a elaboração de idéias, que explicariam e impulsionariam as atividades humanas. 
32. Montesquieu, Voltaire e Rousseau defenderam em seus escritos as idéias iluministas, fornecendo as bases do pensamento liberal do Ocidente.

53) (PUC) Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: I - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da sociedade ocidental. II - O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à razão, entendida como inerente à condição humana. III - Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à educação enquanto instrumento promotor da civilização. IV - A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável de todo ser humano. Assinale:

a) se apenas a afirmativa II estiver correta.
b) se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas.
c) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
d) se apenas as afirmativas I, II e IV estiverem corretas.
e) se todas as afirmativas estiverem corretas.

54) (UNESP) Adam Smith, autor de "A Riqueza das Nações" (1776), referindo-se à produção e à aquisição de riquezas, observou: "Não é com o ouro ou a prata, mas com o trabalho que toda a riqueza do mundo foi provida na origem, e seu valor, para aqueles que a possuem e desejam trocá-la por novos produtos, é precisamente igual à quantidade de trabalho que permite alguém adquirir ou dominar." Os pontos de vista de Adam Smith opõem-se às concepções

a) mercantilistas, que foram aplicadas pelos diversos estados absolutistas europeus.
b) monetaristas, que acompanharam historicamente as economias globalizadas.
c) socialistas, que criticaram a submissão dos trabalhadores aos donos do capital.
d) industrialistas, que consideraram as máquinas o fator de criação de riquezas.
e) liberais, que minimizaram a importância da mão-de-obra na produção de bens.

55) (UFRN) No século XVIII, alguns monarcas europeus conciliaram as teorias iluministas com as práticas absolutistas de governo. O "Despotismo Esclarecido", como foi chamada essa forma de governar, deu início às

a) mudanças que eliminaram a intervenção do Estado na economia, permitindo total liberdade à iniciativa privada.
b) reformas que tentaram adequar as estruturas econômicas dos respectivos Estados à ordem liberal burguesa em ascensão.
c) práticas colonialistas que transformaram as estruturas econômicas, com base no desenvolvimento manufatureiro.
d) medidas econômicas que ampliaram a participação da aristocracia na relação entre metrópoles e colônias.

56) (UFRS) As idéias reformistas de Voltaire e as idéias revolucionárias de Rousseau contestavam o tradicionalismo religioso e a desigualdade social em que se apoiava o Antigo Regime, no qual os principais beneficiados eram

a) monarquia, Igreja e nobreza.
b) Igreja, nobreza e burguesia.
c) monarquia, Igreja e campesinato.
d) burguesia, Igreja e monarquia.
e) campesinato, nobreza e burguesia.

57) (UFSM) "Nenhum homem recebeu da natureza o direito de comandar os outros. A liberdade é um presente do céu, e cada indivíduo da mesma espécie tem o direito de gozar dela logo que goze da razão." Denis Diderot (1713-1784), ao escrever o trecho citado, condensou alguns princípios do Iluminismo: I. a revelação da verdade pela fé e pela natureza. II. a crença na capacidade de o homem pensar por si mesmo. III. o desapreço pelo individualismo e a ênfase na coletividade. IV. uma visão de mundo que favorece a igualdade entre os homens. Estão corretas

a) apenas I e II.
b) apenas I e III.
c) apenas II e IV.
d) apenas III e IV.
e) apenas II, III e IV.

58) (PUC) A Filosofia Iluminista possibilitou, no século XVIII, o surgimento do Despotismo Esclarecido, praticado por monarcas e príncipes, destacando-se Frederico II e José II, respectivamente na Prússia e Áustria. Assinale a alternativa correta:

a) Fiéis aos seus mestres iluministas, os citados monarcas dividiram o poder com parlamentos democraticamente eleitos.
b) Representantes dos nobres, os monarcas que aplicaram o Despotismo Esclarecido nada fizeram pela instrução pública, pois pensavam que a instrução popular poderia levar às revoluções contestadoras da monarquia.
c) Os Déspotas Esclarecidos renunciaram à guerra como fórmula política, sendo o exemplo dado inicialmente por Frederico II.
d) A exemplo do rei José II, de Portugal, e do seu ministro Marquês de Pombal, todos os Déspotas Esclarecidos perseguiram os jesuítas ou inacianos.
e) No plano econômico, os Déspotas Esclarecidos aplicaram a Fisiocracia, incentivaram a agricultura e intervieram, regulamentando, a economia.

59) (PUC) Responder à questão sobre o pensamento iluminista nos séculos XVII e XVIII, numerando a coluna II de acordo com a coluna

 I. COLUNA I 

1. Adam Smith 
2. Barão de Montesquieu 
3. John Locke 
4. Jean-Jacques Rousseau 

COLUNA II 

( ) Criticava a burguesia e a propriedade privada. Defendia a tese de que todo o poder emana do povo (da vontade geral) e é em nome do povo que ele é exercido.
 ( ) Condenava o mercantilismo, por considerá-lo um entrave lesivo a toda ordem econômica. Defendia que, com a concorrência, a divisão do trabalho e o livre comércio se alcançaria a harmonia e a justiça social. 
( ) Combatia o despotismo. Defendia a tese de que a autoridade do governo deve ser desmembrada em três poderes: Legislativo, Executivo e Judiciário. 
( ) Combatia o absolutismo. Defendia a ideia segundo a qual a vida, a liberdade e a propriedade são direitos naturais. Os governos, para o filósofo, teriam a finalidade de respeitar e assegurar os direitos naturais dos cidadãos. Relacionando-se a coluna da esquerda com a coluna da direita, obtém-se, de cima para baixo, os números na seqüência:

a) 1, 3, 4, 2
b) 4, 1, 2, 3
c) 3, 1, 4, 2
d) 2, 4, 3, 1
e) 3, 4, 2, 1

60) (MACKENZIE) Os filósofos iluministas do século XVIII tinham o desejo de libertar o espírito humano do peso da barbárie que o obscurecia e de guiá-lo para as luzes da razão. A respeito de suas idéias, é INCORRETO afirmar que:

a) criticavam a influência da Igreja católica sobre a sociedade nos campos da educação e cultura e da política.
b) queriam a limitação do poder real e o fim do direito divino dos reis.
c) defendiam a não intervenção do Estado no campo econômico.
d) incentivavam a formação de companhias reais de navegação e comércio para explorar as potencialidades do comércio colonial.
e) desejavam o fim da desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos.

61) (UFSM) O Iluminismo trouxe uma nova concepção de homem e de mundo. Dentre os iluministas, Rousseau (1712 - 1778) pode ser considerado o mais polêmico. Ele glorificava os valores da vida natural e atacava a corrupção e a avareza da sociedade aristocrática. Foi um importante defensor da pequena burguesia e inspirador dos ideais da Revolução Francesa. Para Rousseau a democracia verdadeira estava centrada em um trinômio formado por

a) liberdade - propriedade - família.
b) liberdade - igualdade - vontade geral.
c) contrato social - igualdade - voto direto.
d) vida natural - igualdade - humanidade.
e) constituição - fraternidade - revolução.

62) (FATEC) O iluminismo surgiu na França, no século XVIII, e se caracterizava por procurar uma explicação racional para todas as coisas. É correto afirmar que

a) a filosofia iluminista preocupou-se com o estudo da natureza, por isso, acreditava-se em Deus e no poder da Igreja para chegar a Ele.
b) seus pensadores eram divididos em dois grupos: os filósofos e os economistas, sendo estes últimos defensores de uma economia totalmente supervisionada pelo Estado.
c) os déspotas esclarecidos, monarcas e ministros europeus adeptos de idéias iluministas, modernizaram seus Estados abandonando o poder absoluto.
d) para corrigir a desigualdade social era preciso modificar a sociedade, dando a todos liberdade de expressão e de culto, além de proteção contra a escravidão, a injustiça, a opressão e as guerras.
e) um de seus maiores pensadores foi Montesquieu, que escreveu o Contrato Social, no qual criticava a Igreja e defendia a liberdade dos homens.

63) (UEM) "O homem nasceu livre e está sempre acorrentado. Há quem se julgue dono dos outros, mas não deixa de ser mais escravo do que eles. (...) Quando um povo é obrigado a obedecer e obedece, faz bem; logo que ele pode romper o jugo, e o rompe, faz ainda melhor: pois, recuperando sua liberdade com o mesmo direito com que lhe foi tirada, ou é justo que ele a reconquiste, ou não era justo que lhe fosse tirada." (ROSSEAU, Jean Jacques. Contrato social). Rosseau, o autor do texto acima, é considerado um dos maiores expoentes do Iluminismo. A respeito do Iluminismo, assinale a(s) alternativa(s) correta(s). 

01) Além de Rosseau, entre os principais pensadores iluministas, podem-se incluir Dante Alighieri, Tomasio Campanella e Montaigne. 
02) Originado na Inglaterra, difundido pela França, o Iluminismo pregava a razão, a liberdade do espírito, a livre crítica e a tolerância religiosa, contrapondo-se, assim, ao peso da tradição, do dogmatismo religioso e filosófico e ao absolutismo monárquico. 
04) O Iluminismo, em seu conjunto, fazia uma incisiva crítica ao mundo civilizado e propunha um retorno às formas de vida da sociedade primitiva. 
08) O impulso renovador das idéias iluministas provocou, na Europa, um grande interesse pelos problemas da vida em sociedade, possibilitando o surgimento de novas idéias e de teorias econômicas. 
16) O espírito renovador, presente no Iluminismo, conduziu a um profundo estudo das ciências, campo onde ocorreu um grande avanço. 
32) As raízes mais remotas do Iluminismo podem ser encontradas no Renascimento, no destaque dado por esse período à liberdade individual e à luta contra o fanatismo.

64) (UEM) O economista Adam Smith, ao publicar sua obra maior, A Riqueza das Nações (1776), faz a defesa da ordem econômica liberal como forma de promover o desenvolvimento das forças produtivas e a satisfação das necessidades humanas. Com respeito à postura de Adam Smith, assinale o que for correto. 

01) Defendia a manutenção dos monopólios comerciais como meio de promover a riqueza das nações. 
02) Adam Smith foi um importante crítico da sociedade burguesa e impulsionador dos movimentos socialistas.
 04) Segundo Adam Smith, a divisão do trabalho implicava um aumento da produção. Assim, cada operário faria apenas uma operação incorrendo em uma especialização. Isso levaria a um aumento da produção e, conseqüentemente, ao barateamento dos custos. Logo, os produtos no mercado custariam mais barato e ocorreria um aumento no consumo. 
08) Adam Smith era um crítico dos monopólios comercias e defendia um desenvolvimento nacional baseado no trabalho artesanal. 
16) Considerava que o trabalho era a origem de toda a riqueza, refutando os mercantilistas que afirmavam ser o comércio o grande gerador de riqueza.

65) (FUVEST) "A autoridade do príncipe é limitada pelas leis da natureza e do Estado... O príncipe não pode, portanto, dispor de seu poder e de seus súditos sem o consentimento da nação e independentemente da escolha estabelecida no contrato de submissão..." Diderot, artigo "Autoridade política", Enciclopédia. 1751 Tendo por base esse texto da Enciclopédia, é correto afirmar que o autor

a) pressupunha, como os demais iluministas, que os direitos de cidadania política eram iguais para todos os grupos sociais e étnicos.
b) propunha o princípio político que estabelecia leis para legitimar o poder republicano e democrático.
c) apoiava uma política para o Estado, submetida aos princípios da escolha dos dirigentes da nação, por meio do voto universal.
d) acreditava, como os demais filósofos do Iluminismo, na revolução armada como único meio para a deposição de monarcas absolutistas.
e) defendia, como a maioria dos filósofos iluministas, os princípios do liberalismo político que se contrapunham aos regimes absolutistas.

66) (UNICAMP) Que os tiranos de todos os países, que todos os opressores políticos ou sagrados saibam que existe um lugar no mundo onde se pode escapar aos seus grilhões, onde a humanidade desonrada reergueu a cabeça; (...); onde as leis não fazem mais que garantir a felicidade; onde (...) a consciência deixou de ser escrava (...). (RAYNAL (abade). "A Revolução da América". Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1993.) A posição apresentada pelo abade Raynal sintetiza alguns aspectos da ilustração política. 

a) A partir do texto, indique, com suas próprias palavras, dois princípios do pensamento iluminista. 
b) Para o autor do texto, a independência das treze colônias inglesas foi um processo revolucionário, razão pela qual denomina-a de Revolução Americana. Cite e explique um fator que contribuiu para essa Revolução.

67) Na segunda metade do século XVIII, ganha força na França um movimento intelectual conhecido como "Enciclopedismo", cujos autores de maior destaque foram os filósofos Denis Diderot e Jean d Alembert. Sobre o "Enciclopedismo", responda: qual era o objetivo no que concerne ao ideal científico e filosófico do seu tempo, e quais foram suas repercussões?

68) (UEL) Na última parte do século XVIII, as necessidades de coesão e eficiência estatais, bem como o evidente sucesso internacional do poderio capitalista, levaram a maioria dos monarcas a tentar programas de modernização intelectual, administrativa, social e econômica. (Adaptado de: HOBSBAWM, Eric. "A Era das Revoluções". São Paulo: Paz e Terra, 1997. p. 39.) Assinale a alternativa que apresenta corretamente como ficou conhecida a modernização referida pelo autor. 

a) Anarquismo, porque os reis perderam a autoridade nos setores administrativo, social e econômico. 
b) Socialismo utópico, porque os reis desejavam transformações impossíveis de serem realizadas. 
c) Despotismo esclarecido, visto que os monarcas se apropriaram de alguns preceitos iluministas. 
d) Socialismo cristão, pois os monarcas desejavam reformas administrativas e econômicas com base nos preceitos religiosos. 
e) Totalitarismo, uma vez que os reis almejavam o poder absoluto nas instâncias intelectual, administrativa, social e econômica.

69) (PUC) "Todavia, o recurso ao STF é um procedimento legítimo que não vem a interferir, mas a reforçar o equilíbrio entre os poderes. Ao contrário do que afirmam os deputados, independência não é sinônimo de autonomia plena, mas de inter-relação e controle mútuo." ("Folha de S. Paulo", Editorial, 02.Nov.2005) O texto nos lembra, mais especificamente: 

a) Diderot. 
b) Voltaire. 
c) Montesquieu. 
d) Hobbes. 
e) Rousseau.

70) (UFU) O fim maior e principal para os homens unirem-se em sociedades políticas e submeterem-se a um governo é a conservação de suas propriedades, ou seja, de suas vidas, liberdades e bens. Adaptado de LOCKE, John. "Dois Tratados sobre o Governo". São Paulo: Martins Fontes, 1998, p.495. A autoproteção constitui a única finalidade pela qual se garante à humanidade, individual ou coletivamente, interferir na liberdade de ação de qualquer um. O único propósito de se exercer legitimamente o poder sobre qualquer membro de uma comunidade civilizada, contra sua vontade, é evitar dano aos demais. Adaptado de MILL, J.Stuart. "A Liberdade". São Paulo: Martins Fontes, 2000, p.17. Os trechos anteriores referem-se aos fundamentos do pensamento liberal. Sobre esse tema, assinale a alternativa que apresenta a explicação INCORRETA. 

a) Em defesa da razão e da liberdade, vários pensadores europeus inspiraram uma série de transformações sociais, econômicas e políticas, principalmente a partir do século XVIII, cujas conseqüências estão presentes até hoje na sociedade contemporânea. 
b) As bases filosóficas e políticas da sociedade civil e do Estado liberal moderno formaram-se, primeiramente, na Inglaterra no século XVII, tendo como um de seus principais idealizadores John Locke. 
c) A defesa da liberdade e da propriedade como direitos legítimos do indivíduo foi importante na formação do ideário liberal, comum a dois importantes movimentos político-sociais europeus nos séculos XVII e XVIII: a Revolução Gloriosa na Inglaterra e a Revolução Francesa. 
d) Os princípios do liberalismo, defendidos por Locke e Stuart Mill, excluem os direitos do indivíduo na sociedade ao justificarem a adoção de punições em função de ameaças à liberdade e à propriedade.

71) (UFRS) No século XVIII, a filosofia das Luzes - o Iluminismo - constituiu um momento decisivo na história das idéias. Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações a seguir, referentes a esse tema. ( ) O movimento das Luzes teve seu maior esplendor na França, que constituía a maior potência da Europa ocidental, seja pelo número de habitantes, seja pelos recursos econômicos. ( ) A despeito da concepção positiva da natureza humana e, portanto, da crença da perfectibilidade do homem, os pensadores iluministas recusaram qualquer engajamento na vida pública, negando a validade das reflexões políticas. ( ) As Luzes encontraram suas raízes no progresso realizado no campo científico, ao longo do século XVII, através das contribuições de Galileu e Pascal, entre outros. ( ) Como princípio-chave, a filosofia iluminista almejava fazer progredir o espírito crítico através de uma reflexão livre: a razão tornou-se o imperativo supremo. ( ) O século das Luzes pôde atingir tamanho desenvolvimento na medida em que contou com a mais ampla liberdade de expressão e de imprensa, à qual o Estado não impunha censuras. A seqüência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é 

a) F - F - V - V - V. 
b) V - V - F - F - F. 
c) F - V - F - V - V. 
d) V - F - V - V - F. 
e) F - V - F - F - V.

72) Com relação ao enciclopedismo, responda:

a) O que era o enciclopedismo?
b) Quais as implicações do enciclopedismo ao iluminismo?

73) Tente explicar resumidamente por que o século XVIII acabou sendo conhecido como o “Século das Luzes” ?

74) (ENEM-2007) 
Em 4 de julho de 1776, as treze colônias que vieram inicialmente a constituir os Estados Unidos da América (EUA) declaravam sua independência e justificavam a ruptura do Pacto Colonial. Em palavras profundamente subversivas para a época, afirmavam a igualdade dos homens e apregoavam como seus direitos inalienáveis: o direito à vida, à liberdade e à busca da felicidade. Afirmavam que o poder dos governantes, aos quais cabia a defesa daqueles direitos, derivava dos governados. Esses conceitos revolucionários que ecoavam o Iluminismo foram retomados com maior vigor e amplitude treze anos mais tarde, em 1789, na França.

(Emília Viotti da Costa. Apresentação da coleção. In: Wladimir Pomar. Revolução Chinesa. São Paulo: UNESP, 2003 (com adaptações)).

Considerando o texto acima, acerca da independência dos EUA e da Revolução Francesa, assinale a opção correta.

(A) A independência dos EUA e a Revolução Francesa integravam o mesmo contexto histórico, mas se baseavam em princípios e ideais opostos.
(B) O processo revolucionário francês identificou-se com o movimento de independência norte-americana no apoio ao absolutismo esclarecido.
(C) Tanto nos EUA quanto na França, as teses iluministas sustentavam a luta pelo reconhecimento dos direitos considerados essenciais à dignidade humana.
(D) Por ter sido pioneira, a Revolução Francesa exerceu forte influência no desencadeamento da independência norte-americana.
(E) Ao romper o Pacto Colonial, a Revolução Francesa abriu o caminho para as independências das colônias ibéricas situadas na América.

75) ) (UFRJ-2005) 
“ Dois acontecimentos que fizeram época marcam o inicio e o fim do absolutismo clássico. Seu ponto de partida foi a guerra civil religiosa. . O Estado moderno ergue-se desses conflitos religiosos mediante lutas penosas, e só alcançou sua forma e fisionomia plenas ao superá-los. Outra guerra 
civil – a Revolução Francesa – preparou seu fim brusco.” 
Fonte: KOSELLECK, Reinhart. Crítica e crise. Rio de Janeiro, Eduerj & Contraponto, 1999, p. 19. 

a) Identifique dois aspectos que caracterizavam o exercício da autoridade pelo Estado Absolutista. 
b) Em 1651, em meio às guerras religiosas que assolavam a Europa, o filósofo inglês Thomas Hobbes defendia a necessidade de um Estado forte como forma de controlar os sentimentos anti-sociais do homem. Pouco mais de um século depois, o filósofo J.J. Rousseau, em sua obra Contrato Social (1762), apresentou uma outra visão sobre o mesmo problema. Comente uma característica da concepção de Estado presente em Rousseau

76) (FEI-1994) A famosa frase atribuída a Luis XIV: "O Estado sou eu", define: 

a) o absolutismo; 
b) o iluminismo, 
c) o liberalismo; 
d) o patriotismo do rei; 
e) a igualdade democrática. 

77) [O individuo], orientando sua atividade de tal maneira que sue produção possa ser da maior valor, visa apenas o seu próprio ganho e, neste, como em muitos outros casos é levado como que por uma mão invisível a promover um objetivo que não fazia parte de suas intenções. (...) Ao perseguir seus próprios interesses, o individuo muitas vezes promove e interesse da sociedade muito mais eficazmente do que quando tencione realmente promovê-lo. (SMITH, A. A riqueza das nações. São Paulo: Abril Cultural, I 953, p.379-50,) 
Sobre o liberalismo, considere as seguintes afirmativas: 

I - O liberalismo econômico, cujos principios, como o Livre comércio, a propriedade privada e a lei de mercado, favoreceram o desenvolvimento do capitalismo, teve em Adam Smith um de seus principais fundadores. 
II - A sistematização das análises econômicas no livro História da riqueza das nações contribuiu pera a definição da economia como ciência. 
III - No trecho acima, Adam Smith denunciou os males do individualismo e do egoismo econômico. 
V IV - A “mão Invisivei” citada por Adam Smith é uma metáfora que pode ser substituida pela definição liberal de mercado. 
Assinale a alternativa correta. 

a),apenas as afirmativas I, II e III são verdadeiras. 
b)apenas as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.
c) apenas as afirmativas II e III são verdadeiras
d) apenas as afirmativas I e IV são verdadeiras. 
e) todas as afirmativas são verdadeiras. 

78) As grandes revoluções burguesas do século XVIII refletem, em parte, algumas idéias dos filósofos iluministas, dentre as quais podemos destacar a que: 

a) apontou a necessidade de limitar a liberdade individual para impedir que o excesso degenerasse em anarquismo.
b) acentuou que o Estado não possui poder ilimitado, o qual nada mais é do que a somatória do poder dos membros da sociedade. 
c) visou defender a tese de que apenas a federalização política é compatível com a democracia orgânica. 
d) mostrou que, sem centralização e dependência dos poderes ao Executivo, não há paz social. 
e) procurou salientar que a sociedade industrial somente se desenvolverá a partir de minucioso planejamento econômico. 

79)  Identifique, nas sentenças a seguir citadas, aquela que expressa o pensamento de 
Montesquieu: 

a) (...) á preciso (...) encontrar uma formada associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de cada associação, ‘.de qualquer força comum, e pela qual, cada um, não obedeça senão a si mesmo, ficando assim tão livre quanto antes. 
b) uma verdade eterna: qualquer pessoa que tenha o poder, tende a abusar dele. Para que não haja abuso, é preciso organizar as coisas de maneira que o poder seja contido pelo poder. 
c) O Estado está obrigado a proporcionar trabalho ao cidadão capaz, e ajuda e proteção aos incapacitados. Não se pode obter tais resultados a não ser por um Poder Democrático. 
d) A única maneira de erigir-se um poder, capaz de defendê-ios contra a invasão e danos infligidos, uns contra os outros (...) consiste em conferir todo o poder e forças um só homem. 

80) (UPE/2012) O iluminismo de Jean-Jacques Rousseau, fruto do iluminismo do século XVIII, serve de base até hoje para a estrutura política de vários países democráticos ocidentais. Sobre essa realidade, assinale a alternativa CORRETA. 

A) No pensamento de Rousseau, gesta-se a teoria do Estado Contratualista. 
B) Os atuais regimes socialistas do ocidente condenam a propriedade privada com base nos textos de Rousseau. 
C) A teoria da tripartição do poder é herança do pensamento de Rousseau. 
D) A teoria contratualista foi desenvolvida por Rousseau na obra Origem da desigualdade social entre os homens. 
E) Na obra Do contrato social, Rousseau defende a propriedade privada.

Gabarito: 

1) B    2) C    3) A    4) B    5) E    6) A    7) E    8) C    9) C   10) B    11) B    12) C   13) B

14) D   15) A   16) A    17) D    18) B    19) B    20) B    21) B    22) B   23) A   24) D   25) D
26) C   27) D    28) a) Divisão de poderes.      b) Iluminismo.     29) a) Racionalismo e cientificismo.  b) Rousseau e Robespierre.     30) Eles combatiam o Absolutismo (poder absoluto) e almejavam implantar a república como forma de governo, tornando assim uma sociedade "mais justa".     31) a)Racionalismo. 
b)Significa que defendiam que deixassem de utilizar preceitos da religião para interferir na política, educação, entre outros.Defendiam a liberdade expressão. 
c)Os pensadores iluministas dirigiam suas críticas ao poder soberano : Igreja, rei ...
32) D    33) E    34) B    35) B    36) a) Absolutismo e Iluminismo. 
b) Amigo de Voltaire, Frederico II. 
c) Defendia as liberdades individuais, opunha-se à Igreja e achava que cada país deveria adotar um governo que lhe melhor adaptasse.
37) O iluminismo criticava o poder central do rei, a sociedade estamental, o mercantilismo, a falta das liberdades necessárias a vida do homem.   39) A    40) E    41) A    42) C    43) A
44) A   45) C    46) A    47) a)No século XVIII, ocorreu uma mudança fundamental: as abordagens intelectuais do Iluminismo por um lado, e a descoberta de um "outro" em culturas fora da Europa (o exotismo, o mito do "bom selvagem") por outro, suscitam um novo espírito crítico (embora, na realidade, fossem circunstâncias semelhantes às que se podiam observar em Heródoto).Pierre Nora e Jacques Le Goff ("Fazer a História", 1973), que designa a corrente historiográfica que anima a terceira geração dos "Annales". A nova história trata de estabelecer uma história serial das mentalidades, ou seja, das representações colectivas e das estruturas mentais das sociedades. 
b)Expulsão dos Jesuítas e criação das companhias de comércio.
48) B    49) D    50) D   51) A   52) 01 + 04 + 16 + 32 = 53     53) E    54) A    55) B    56) A    57) C
58) E    59) B     60) D    61) B   62) D    63) 58    64) 20    65) E   66) a)Liberdade de expressão e crítica ao governo absoluto. 
b)A Revolução Americana representou a tomada do poder pela burguesia colonial eminentemente agrária em suas origens, em detrimento, da oligarquia metropolitana, representada pelo Parlamento inglês.
67) Foi um movimento filosófico-cultural desmembrado do Ilustracionismo, desenvolvido na França e que buscava catalogar todo o conhecimento humano a partir dos novos princípios da razão.
68) C    69) C   70) D    71) D    72) a) O enciclopedismo foi um movimento que empreendeu a reunião de vários artigos onde os mais expressivos pensadores do iluminismo registravam as suas ideias. Através da reunião desses artigos, era montada uma grande enciclopédia capaz de aglomerar as várias manifestações de conhecimento da era iluminista.
b) O movimento enciclopedista foi de grande importância para que o conhecimento dos estudiosos e pensadores daquela época fosse difundido em vários lugares da Europa. Dessa forma, os valores do iluminismo alcançaram diferentes nações e transformaram o jeito de se compreender o mundo, investigar a natureza e organizar as instituições políticas.
73) A ideia de “luz” ou “iluminação” simbolizava uma época em que vários intelectuais elogiavam o uso da razão como um meio eficaz de se compreender o mundo. Nesse sentido, a “luz” da razão representava o oposto das “trevas” impostas pela ignorância e pelo misticismo.    74) C
75) ) a) O Estado ampliou sua autoridade por meio do monopólio do poder militar e da justiça, da formação de uma burocracia estatal e da interferência na economia. O candidato poderá ainda, apoiado na moderna historiografia sobre o assunto, afirmar que o Estado do Antigo Regime baseava sua autoridade nas contínuas negociações com os poderes locais (como a aristocracia e as Comunas Urbanas), e no exercício da justiça como forma de garantir a ordem social e política. 
b) Rousseau considera que o Estado fora criado pelo homem para preservar sua liberdade, o povo é o depositário do poder e os governantes constituem apenas seus funcionários. As leis devem ser aprovadas por todos, a soberania do povo deve ser absoluta e se manifestar através da vontade geral, pois a liberdade só existe quando há igualdade entre os componentes da sociedade.     76) A    77) B    78) B    79) B    80) A

6 comentários:

  1. E A RESPOSTA DA 38??????????????????????????????????

    ResponderExcluir
  2. CADÊ A RESPOSTA DA 38 EITA BLOG DE $@*&%! ???????????????????????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O cara tem coragem de chamar o blog de 'blog de $@*&%!'? Não tem capacidade para criar nada e ainda critica o blog.

      Excluir
  3. alguem pode explicar porque a 35 é a A ?

    ResponderExcluir
  4. alguem pode explicar porque a 35 é a A ?

    ResponderExcluir