terça-feira, 5 de março de 2013

Termos integrantes e acessórios da oração resumo




Artigo sobre termos integrantes e acessórios da oração: Objeto direto e indireto, complemento nominal, agente da passiva, adjunto adnominal, adjunto adverbial, aposto com questões de vestibulares.

Termos integrantes da oração

Certos verbos ou nomes presentes numa oração não possuem sentido completo em si mesmos. Sua significação só se completa com a presença de outros termos, chamados integrantes. São eles:

complementos verbais (objeto direto e objeto indireto);

complemento nominal;

agente da passiva.

Complementos Verbais

Completam o sentido de verbos transitivos diretos e transitivos indiretos. São eles:

1) Objeto Direto

É o termo que completa o sentido do verbo transitivo direto, ligando-se a ele sem o auxílio necessário da preposição.

Por Exemplo:

Abri os braços ao vê-lo.
Objeto Direto
O objeto direto pode ser constituído:

a) Por um substantivo ou expressão substantivada.

Exemplos:

O agricultor cultiva a terra./ Unimos o útil ao agradável.
b)  Pelos pronomes oblíquos o, a, os, as, me, te, se, nos, vos.

Exemplos:

Espero-o na minha festa. / Ela me ama.
c)  Por qualquer pronome substantivo.

Exemplos:

Não veio ninguém à aula hoje. / O menino que conheci está la fora. / Onde você leu isso?
Atenção:

Em alguns casos, o objeto direto pode vir acompanhado de preposição facultativa. Isso pode ocorrer:

- quando o objeto é um substantivo próprio: Adoremos a Deus.

- quando o objeto é representado por um pronome pessoal oblíquo tônico: Ofenderam a mim, não a ele.

- quando o objeto é representado por um pronome substantivo indefinido: O diretor elogiou a todos.

- para evitar ambiguidade: Venceu ao inimigo o nosso colega.

Obs.: caso o objeto direto não viesse preposicionado, o sentido da oração ficaria ambíguo, pois não poderíamos apontar com precisão o sujeito (o nosso colega).


Objeto Indireto

É o termo que completa o sentido de um verbo transitivo indireto. Vem sempre regido de preposição clara ou subentendida. Atuam como objeto indireto os pronomes: lhe, lhes, me te, se, nos, vos.
Exemplos:




Não desobedeçoa meus pais.
Objeto Indireto

Precisode ajuda. (Preposição clara "de")
Objeto Indireto

Enviei-lheum recado.(Enviei a ele - a preposição a está subentendida)

Objeto Indireto

Obs.:  muitas vezes o objeto indireto inicia-se com crase (à, àquele, àquela, àquilo). Isso ocorre quando o verbo exige a preposição "a", que acaba se contraindo com a palavra seguinte.
Por Exemplo:
Entregaram à mãe o presente. (à = "a" preposição + "a" artigo definido)


Observações Gerais:



a) Pode ocorrer ainda o (objeto direto ou indireto) pleonástico, que consiste na retomada do objeto por um pronome pessoal, geralmente com a intenção de colocá-lo em destaque.
Por Exemplo: As mulheres, eu as vi na cozinha. (Objeto Direto)
A todas vocês, eu já lhes forneci o pagamento mensal. (Objeto Indireto)
b) Os pronomes oblíquos o, a, os, as (e as variantes lo, la, los, las, no, na, nos, nas) são sempre objeto direto. Os pronomes lhe, lhes são sempre objeto indireto.
  Exemplos:
Eu a encontrei no quarto. (OD)
Vou avisá-lo.(OD)
Eu lhe pagarei um sorvete.(OI)
c) Os pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos podem ser objeto direto ou indireto. Para determinar sua função sintática, podemos substituir esses pronomes por um substantivo: se o uso da preposição for obrigatório, então se trata de um objeto indireto; caso contrário, de objeto direto.
Por Exemplo:
Roberto me viu na escola.(OD)
Substituindo-se "me" por um substantivo qualquer (amigo, por exemplo), tem-se: "Roberto viu o amigo na escola." Veja que a preposição não foi usada. Portanto, "me" é objeto direto.

Observe o próximo exemplo:
João me telefonou.(OI)
Substituindo-se "me" por um substantivo qualquer (amigo, por exemplo), tem-se: "João telefonou ao amigo". A preposição foi usada. Portanto, "me" é objeto indireto.

Complemento nominal


Complemento nominal é o termo da oração que é ligado a um nome por meio de uma preposição, completando o sentido desse nome (substantivo, adjetivo ou advérbio).


                   Obj. direto                  complemento nominal 
Ex.: Faça uma rápida leitura   do texto.

                  núcleo do adjunto adverbial de lugar 
Ele mora perto    de um grande hotel.
                               Complemento nominal do advérbio perto. 

O núcleo do complemento nominal é representado por um substantivo (ou palavra com valor de substantivo), poderá ser também representado por um pronome oblíquo.

                                                          núcleo do objeto direto.
Ex.: Tenho-lhe uma justificada admiração.
                    complemento nominal de admiração

O complemento nominal pode caber a uma oração com valor de substantivo, receberá o nome de oração subordinada substantiva completiva nominal. 

Ex.: Chego à conclusão  de que o contrato só beneficiou
                                                     os americanos.
          oração principal                    oração subordinada substantiva
                                                                 
completiva nominal


Agente da Passiva

   É o termo da frase que pratica a ação expressa pelo verbo quando este se apresenta na voz passiva. Vem regido comumente da preposição "por" e eventualmente da preposição "de".
Por Exemplo:




  A vencedora           foi escolhida               pelos jurados.
      Sujeito                      Verbo                     Agente da 
      Paciente                 Voz Passiva                 Passiva
Ao passar a frase da voz passiva para a voz ativa, o agente da passiva recebe o nome de sujeito. Veja:
Os jurados             escolheram                a vencedora.
   Sujeito                      Verbo                        Objeto Direto
                                    Voz Ativa
Outros exemplos:
     Joana                é amada           de muitos.
Sujeito   Paciente                   Agente da   Passiva

   Essa situação        já era conhecida         de todos.
Sujeito  Paciente                               Agente da  Passiva
                                              
Observações:
a) O agente da passiva pode ser expresso por substantivos ou pronomes.
Por Exemplo:
O solo foi umedecido pela chuva. (substantivo)
Este livro foi escrito por mim. (pronome)
b) Embora o agente da passiva seja considerado um termo integrante, pode muitas vezes ser omitido.

Por Exemplo: O público não foi bem recebido. (pelos anfitriões)

TERMOS ACESSÓRIOS DA ORAÇÃO

Sobre os Termos Acessórios
Existem termos que, apesar de dispensáveis na estrutura básica da oração, são importantes para a compreensão do enunciado. Ao acrescentar informações novas, esses  termos:
- caracterizam o ser;
- determinam os substantivos;
- exprimem circunstância.
São termos acessórios da oração: o adjunto adverbial, o adjunto adnominal e o aposto.
Vamos observar o exemplo:
Anoiteceu.
No exemplo acima, temos uma oração de predicado verbal formado por um verbo impessoal. Trata-se de uma oração sem sujeito. O verbo anoiteceu é suficiente para transmitir a mensagem enunciada. Poderíamos, no entanto, ampliar a gama de informações contidas nessa frase:
Por Exemplo:
Suavemente anoiteceu na cidade.
A ideia central continua contida no verbo da oração. Temos, agora, duas noções acessórias, circunstanciais, ligadas ao processo verbal: o modo como anoiteceu (suavemente) e o lugar onde anoiteceu (na cidade). A esses termos acessórios que indicam circunstâncias relativas ao processo verbal damos o nome de adjuntos adverbiais.
Agora, observe o que ocorre ao expandirmos um pouco mais a oração acima:
Por Exemplo: 
Suavemente anoiteceu na deserta cidade do planalto.
Surgiram termos que ser referem ao substantivo cidade, caracterizando-o, delimitando-lhe o sentido. Trata-se de termos acessórios que se ligam a um nome, determinando-lhe o sentido. São chamados adjuntos adnominais.
Por último, analise a frase abaixo:
Fernando Pessoa era português.
Nessa oração, o sujeito é determinado e simples: Fernando Pessoa. Há ainda um predicativo do sujeito (português) relacionado ao sujeito pelo verbo de ligação (era). Trata-se, pois, de uma oração com predicado nominal. Note que a frase é capaz de comunicar eficientemente uma informação. Nada nos impede, no entanto, de enriquecer mais um pouco o conteúdo informativo. Veja:
Fernando Pessoa, o criador de poetas, era português.
Agora, além do núcleo do sujeito (Fernando Pessoa) há um termo que explica, que enfatiza esse núcleo: o criador de poetas. Esse termo é chamado de aposto.


Adjunto adnominal

É o termo da oração que sempre se refere a um substantivo. Vem representado por artigos, adjetivos, locuções adjetivas, pronomes adjetivos e numerais. Os adjuntos adnominais modificam o substantivo, qualquer que seja a função que ele exerça na oração.
Exemplos

1) Adjetivos

- O alegre espetáculo começou tarde.

Alegre: Adjunto Adnominal
Espetáculo: Substantivos

- Meninos tristes chegaram.

Tristes: Adjunto Adnominal
Meninos: Substantivos

- As construções antigas eram mais trabalhadas artisticamente.

Antigas: Adjunto Adnominal
Construções: Substantivos

2) LOCUÇÕES ADJETIVAS

Era uma noite de inverno.

De inverno: hibernal

Noite: subst.
De inverno: AA (Loc. Adj.)

3) PRONOMES ADJETIVOS

Você pegou meu livro.

Meu: AA
Livro: Subst.

4) NUMERAIS

Conheço aqueles dois alunos.

Dois: AA

5) ARTIGO

Onde estão os alunos?

Os: AA
Alunos: Subst.

Os fogos iluminavam a noite.

Os: AA
A: AA

Conheci umas pessoas maravilhosas

Umas: AA

O meu estimado vizinho comprou dois papagaios.

O/ meu/ estimado/ dois: adjuntos adnominais
Vizinho/ papagaio: substantivos

As pipas coloridas contrastavam com o céu azul.

As/ coloridas/ o/ azul: AA
Pipas/ céu: subst.

RELEMBRANDO

LOCUÇÃO ADJETIVA

Lembrando: Locução adjetiva é a expressão que exerce a função de um adjetivo.

Noite de tempestade: noite tempestuosa
Pessoa com fome: pessoa faminta

PRONOME ADJETIVO

Lembrando: O pronome adj. acompanha o subst. com o qual se relaciona.

Trouxe o meu livro.

Meu:Pron. Adj.
Livro: subst.

Alguns alunos estudam o suficiente.

Alguns: PA
Alunos: subst.
Adjunto adverbial
É o termo da oração que indica uma circunstância (dando ideia de tempo, lugar, modo, causa, finalidade, etc.). O adjunto adverbial é o termo que modifica o sentido de um verbo, de um adjetivo ou de um advérbio. Observe as frases abaixo:
Eles se respeitam muito.
Seu projeto é muito interessante.
O time jogou muito mal.
Nessas três orações, muito é adjunto adverbial de intensidade. No primeiro caso, intensifica a forma verbal respeitam, que é núcleo do predicado verbal. No segundo, intensifica o adjetivo interessante, que é o núcleo do predicativo do sujeito. Na terceira oração, muito intensifica o advérbio mal, que é o núcleo do adjunto adverbial de modo.
Veja o exemplo abaixo:
Amanhã voltarei de bicicleta àquela velha praça.
Os termos em destaque estão indicando as seguintes circunstâncias:
amanhã indica tempo;
de bicicleta indica meio;
àquela velha praça indica lugar.
  Sabendo que a classificação do adjunto adverbial se relaciona com a circunstância por ele expressa, os termos acima podem ser classificados, respectivamente em: adjunto adverbial de tempo, adjunto adverbial de meio e adjunto adverbial de lugar.

O adjunto adverbial pode ser expresso por:

1) Advérbio: O balão caiu longe.
2) Locução Adverbial: O balão caiu no mar.
3) Oração: Se o balão pegar fogo, avisem-me.

Observação:  nem sempre é possível apontar com precisão a circunstância expressa por um adjunto adverbial. Em alguns casos, as diferentes possibilidades de interpretação dão origem a orações sugestivas.
Por Exemplo:
Entreguei-me calorosamente àquela causa.
   É difícil precisar se calorosamente é um adjunto adverbial de modo ou de intensidade. Na verdade, parece ser uma fórmula de expressar ao mesmo tempo as duas circunstâncias. Por isso, é fundamental levar em conta o contexto em que surgem os adjuntos adverbiais.
Aposto


Aposto é a expressão que esclarece, acompanha, resume, identifica um outro termo da oração, seja qual for a função deste. 

Há quatro tipos de aposto:

Aposto Explicativo:

O aposto explicativo é destacado por pausas, podendo ser representadas por vírgulas, dois pontos ou travessões. Pode vir precedido de expressões explicativas do tipo: a saber, isto é, quer dizer etc.

Ex. Solange, filha de Maria, é professora. 

Aposto Especificador:

O aposto especificador não tem pausa. Especifica um substantivo de sentido genérico 

Ex. A Rua Flores no bairro Jardim das Rosas está sendo asfaltada.

Aposto Enumerador:

O aposto enumerador é uma seqüência de elementos usada para desenvolver uma idéia anterior.

Ex. Eu tinha três opções: ir para minha casa, ir para casa da minha avó, ou para casa da minha tia.

Aposto Resumidor:

O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores. É representado, geralmente, por um pronome indefinido.

Ex. Pai, mãe, irmãos, tios, avós e amigos, todos compareceram na cerimônia.


Diferença entre Adjunto adnominal, complemento adnominal e aposto


Geralmente os concursandos se veem em uma situação complexa quando há a necessidade de classificar os termos relacionados ao nome (adjunto adnominal, complemento nominal ou aposto especificador). Seguem algumas dicas.
1) Se o termo introduzido por preposição estiver ligado a adjetivo ou advérbio, será complemento nominal. Ex.: Ele era favorável ao divórcio. (favorável = adjetivo; ao divórcio = CN)

2) Se o termo introduzido por preposição estiver ligado a substantivo, poderá ser adjunto adnominal, complemento nominal ou aposto especificador.

Dicas para a identificação
1. Veja se o substantivo (núcleo) é concreto ou abstrato.
Se concreto, APOSTO ou ADJUNTO ADNOMINAL.

a) A blusa de Pedro é linda. 
Quem é linda? A blusa de Pedro. Núcleo = blusa= concreto.
Pedro é o nome da blusa? Não, então (de Pedro) é um ADJUNTO ADNOMINAL.

b) A cidade de Londrina é linda. Quem é linda? A cidade de Londrina. 
Núcleo = cidade = concreto. 
Londrina é o nome da cidade? Sim. Então(de Londrina) é um APOSTO ESPECIFICADOR.

c) A rua de terra será asfaltada pelo prefeito Beto Richa. 
Quem será asfaltada? A rua de terra. Núcleo = rua = concreto. 
Terra é o nome da rua? Não. Então (de terra) é um ADJUNTO ADNOMINAL.

d) O rio Barigui secou. 
Quem secou? O rio Barigui. Núcleo = rio = concreto. 
Barigui é o nome do rio? Sim. Então, Barigui é um APOSTO ESPECIFICADOR. 
Se o substantivo núcleo for abstrato, teremos: adjunto adnominal ou complemento nominal. 
a)  adjunto adnominal: quando tiver sentido ativo.
Ex.: A resposta do aluno foi satisfatória. (o aluno deu a resposta: sentido ativo)

b)  Complemento nominal: quando tiver sentido passivo.
Ex.: A resposta ao aluno foi satisfatória. (o aluno recebeu a resposta: sentido passivo)
Classifique sintaticamente os termos destacados em complemento nominal, aposto especificador ou adjunto adnominal. 
Não se esqueça de que os substantivos derivados de verbos são abstratos.
A venda = vender 
A construção = construir
A torcida = torcer 
O estudo = estudar

a) A crítica da torcida foi importante para os jogadores.
b) A crítica à torcida foi ferina. 
c) O discurso do orador foi longo. 
d) Gosto de doce de abacaxi.
e) Impediram a derrubada da mata. 
f) A professora Helena tem paixão por carros antigos.
g) O café é benéfico à saúde. 
Respostas comentadas
a) Passo 1: da torcida está depois do substantivo crítica (abstrato) 
Passo 2: a torcida faz a crítica: sentido ativo= adjunto adnominal.
b) Passo 1: da torcida está depois do substantivo crítica (abstrato)
Passo 2: a torcida recebe a crítica: sentido passivo= complemento nominal.
c) Passo 1: do orador está depois do substantivo discurso (abstrato).
Passo 2: o orador faz o discurso: sentido ativo= adjunto adnominal.
d) Passo 1: de abacaxi está depois do substantivo doce(concreto)
Passo 2: como abacaxi não é o nome do doce e sim do que foi feito, então de abacaxi é adjunto adnominal.
e) Passo 1: da mata está depois do substantivo derrubada (abstrato)
Passo 2: a mata foi derrubada = sentido passivo= complemento nominal .
f) Passo 1: Helena está depois do substantivo professora (concreto)
Passo 2: Helena é o nome da professora. Então, Helena é um aposto especificador.

Passo 1: por carros antigos está depois do substantivo paixão(abstrato). Se o substantivo for abstrato, há duas opções: adjunto adnominal ou complemento nominal. E agora? Agora é simples. O adjunto adnominal só poderá ser introduzido pela preposição DE. Moleza, não? A preposição é POR ( por carros antigos), então, complemento nominal.
g) Passo 1: à saúde está depois do adjetivo benéfico. Já dá para matar que é complemento nominal. Se você deixou passar essa informação, observe que a preposição é o (A), então só pode ser complemento.

Fontes: http://www.algosobre.com.br/portugues/diferenca-entre-adjunto-adnominal-aposto-e-complemento-nominal.html
           http://www.colegioweb.com.br/portugues/aposto.html
           http://www.infoescola.com/portugues/adjunto-adnominal/
           http://www.soportugues.com.br/secoes/sint/sint20.php

Questões

1) (UFSE) Identifique a alternativa em que todos os dois termos destacados têm a função de adjunto adnominal.

a) As funcionárias estavam absolutamente impossibilitadas de reagir.
b) Traga-o até aqui, com todas as bagagens.
c) Belíssimas gravuras foram vendidas por eles.
d) Eles chegaram muito tarde e jantaram sozinhos.
e) Os pareceres dos técnicos lhe foram plenamente favoráveis.

2) (UFSC) Observe os períodos abaixo e assinale a alternativa em que o lhe funciona como adjunto adnominal:

a) “… anunciou-lhe: Filho, amanhã vais comigo.”
b) O peixe cai-lhe na rede.
c) Ao traidor, não lhe perdoaremos jamais.
d) Comuniquei-lhe o fato ontem pela manhã.
e) Sim, alguém lhe propôs emprego.

3) As orações em evidência retratam termos que se encontram em evidência. Substitua-os por adjuntos adnominais:

a) Compramos um eletrodoméstico que não tem utilidade.
b) Uma pessoa que sempre diz mentiras não é digna de confiança.
c) Alguns alunos tinham uma letra que não se podia ler.
d) O assunto da reunião foi sobre as pessoas que não estavam presentes.
e) A recepção está repleta de pessoas que não têm paciência. 

4) Analise atentamente as orações que seguem, tendo em vista os termos em destaque e em seguida atenha-se ao que se pede:

O professor irritado deu uma advertência ao aluno.
Irritado, o professor deu uma advertência ao aluno.
O professor, irritado, deu uma advertência ao aluno.  

Em todos os enunciados, o termo “irritado” apresenta idêntica classificação morfológica? E sintática? Justifique-se.  

5) (U.E. Maringá)

O Brasil jovem está “curtindo” o vestibular.


Os termos destacados no período acima são, respectivamente:

a) (   ) adjunto adverbial e objeto direto
b) (   ) predicativo do sujeito e objeto direto
c) (    ) adjunto adnominal e complemento nominal
d) (    ) adjunto adnominal e objeto direto 
e) (     ) adjunto adverbial e predicativo do sujeito

6) Tendo em vista os pressupostos linguísticos que demarcam o adjunto adnominal e o predicativo, compare os enunciados e, a seguir, responda ao que se pede:

O garoto extrovertido apresentou o trabalho.

O garoto, extrovertido, apresentou o trabalho.

Constatamos que o adjetivo “extrovertido” se encontra presente em ambos os enunciados. Assim, há alguma diferença que os demarca em termos gramaticais? Justifique.

7) (Unimep – SP) Em:  “... as empregadas das casas saem apressadas, de latas e garrafas na mão, para a pequena fila de leite”, os termos destacados são, respectivamente: 

a)  Adjunto adverbial de modo e adjunto adverbial de matéria.
b)  Predicativo do sujeito e adjunto adnominal
c)  Adjunto adnominal e complemento nominal
d)  Adjunto adverbial de modo e adjunto adnominal
e)  Predicativo do objeto e complemento nominal

8 Assinale a alternativa em que o termo grifado é adjunto adnominal:

a) Sua falta aos encontros sufocava o nosso amor.
b) Ela é uma fera maluca.
c) Ela é maluca por lambada nacional.
d) Não tenho medo da louca.
e) O amor de Deus é o primeiro mandamento.

9) (UFSC) Observe os períodos abaixo e assinale a alternativa em que o lhe é adjunto adnominal:

a) “…anunciou-lhe: Filho, amanhã vais comigo.”
b) O peixe cai-lhe na rede.
c) Ao traidor, não lhe perdoaremos jamais.
d) Comuniquei-lhe o fato ontem pela manhã.
e) Sim, alguém lhe propôs emprego.

10) Tendo em vista que o complemento nominal e o objeto indireto assemelham-se pelo uso da preposição, explique a diferença que há entre ambos no que se refere às suas funções.

11) Atenha-se às orações a seguir no intuito de destacar o complemento nominal por elas representado:

a) Marcos sempre foi leal com seus amigos.
b) Algumas empresas determinaram uma limitação dos lucros.
c) Os alunos apresentaram resistência à decisão do diretor.
d) Estamos contentes com sua visita.
e) Todos os projetos foram benéficos à população.

12) (Instituto Champagnat) Os termos destacados estão corretamente classificados, exceto em:

a) (     ) Ficaram encantados com sua gentileza – objeto direto
b) (     ) Com as mãos no rosto, parecia petrificado – predicativo do sujeito 
c) (     ) Quanto tempo perdido em brincadeira! - Adjunto adnominal
d) (     ) Procurava alívio para seus sofrimentos – complemento nominal
e) (     ) A mim, pobre infeliz, todos abandonam – aposto

13)  A oração que apresenta complemento nominal é:

a) Os pobres necessitam de ajuda.
b) Sejamos úteis à sociedade.
c) Os homens aspiram à paz.
d) Os pedidos foram feitos por nós.
e) A leitura amplia nossos conhecimentos.

14) 

I -"(...) minha carne estremece na certeza de tua vinda."
II - "(...) entretanto eu te diviso, ainda tímida, inexperiente das luzes que vais acender."
III -"Havemos de amanhecer. O mundo se tinge com as tintas da antemanhã (...)"

A função sintática das palavras grifadas nos períodos dos itens I, II e III é, respectivamente:

a) adjunto adnominal, objeto indireto, complemento nominal
b) objeto indireto, objeto direto, adjunto adnominal
c) complemento nominal, objeto direto, adjunto adnominal
d) complemento nominal, objeto direto, complemento nominal
e) objeto indireto, objeto indireto, complemento nominal

15) (FMU-FIAM-FAAM-SP) Identifique a alternativa em que aparece um complemento nominal.

a) Sanches esteve frio.
b) Tive medo de perdê-lo.
c) Exprimia-se brevemente.
d) O caso era outro.
e) Manobrava, então, para voltar, à carga.

16) (PUC-SP) Dê a função sintática do termo destacado em: “Depressa esqueci o Quincas Borba”.

a) objeto direto.
b) sujeito.
C) agente da passiva.
d) adjunto adverbial.
e) aposto.

17) (FMU-SP) Em: “Eu era enfim, senhores, uma graça de alienado”, os termos em destaque são, respectivamente:

a) adjunto adnominal, vocativo, predicativo do sujeito.
b) adjunto adverbial, aposto, predicativo do objeto.
c) adjunto adverbial, vocativo, predicativo do sujeito.
d) adjunto adverbial, vocativo, objeto direto.
e) adjunto adnominal, aposto, predicativo do objeto.

18) (Osec-SP) “Ninguém parecia disposto ao trabalho naquela manhã de segunda-feira”.

a) predicativo.
b) complemento nominal.
c) objeto indireto.
d) adjunto adverbial.
e) adjunto adnominal.

19) (UFPI) “Jatene está convicto de suas ideias”.

“ Os setores do governo discordam do modelo proposto”.

Os termos destacados, quanto à  função sintática, são, respectivamente:

a) complemento nominal – objeto indireto – adjunto adnominal.
b) objeto indireto – adjunto adnominal – complemento nominal.
c) adjunto adnominal – adjunto adnominal – objeto indireto.
d) complemento nominal – complemento nominal – objeto indireto.
e) complemento nominal – adjunto adnominal – objeto indireto.

20) (ESPM-SP) Observe os termos destacados das opções que se seguem e identifique a alternativa que apresenta a classificação correta da função sintática.

Sempre esteve acostumada ao luxo.
Naquela época ainda obedecia aos pais.
Esta roupa não está adequada à ocasião.
Os velhos soldadinhos de chumbo foram esquecidos.

a) complemento nominal – complemento nominal – objeto indireto – complemento nominal.
b) objeto indireto – objeto indireto – objeto indireto – complemento nominal.
c) objeto indireto – complemento nominal – complemento nominal – adjunto adnominal.
d) complemento nominal – objeto indireto – complemento nominal – adjunto adnominal.
e) adjunto adnominal – objeto indireto – complemento nominal – adjunto adnominal.

21) FMU-SP)

“Tinha grande amor à humanidade”.

“As ruas foram lavadas pela chuva”.

“Ele é rico em virtudes”.

As palavras em destaque são, respectivamente:

a) complemento nominal, agente da passiva, complemento nominal.
b) objeto indireto, adjunto adverbial, adjunto adverbial.
c) complemento nominal, agente da passiva, objeto indireto.
d) objeto indireto, agente da passiva, objeto indireto.
e) N.D.A

22) (PUC-SP) Dê a função sintática do termo destacado em: “Voltaremos pela Via Anhanguera”.

a) sujeito.
b) objeto direto.
c) agente da passiva.
d) adjunto adverbial.
e) aposto.

23) (PUC – SP) “Um dia deu-me sono como a qualquer criança”. (Fernando Pessoa)

As palavras em destaque são, respectivamente:

a) adjunto adverbial – adjunto adverbial.
b) objeto indireto – sujeito.
c) objeto indireto – objeto indireto.
d) objeto indireto – objeto direto preposicionado.
e) objeto direto – objeto direto.

24) Classifique os complementos verbais das frases a seguir, numerando, convenientemente, os parênteses:

objeto direto
objeto indireto
objeto direto e indireto
predicativo do sujeito
adjunto adverbial

(     ) Enviei uma carta ao presidente da Associação.
(     ) Ninguém é feliz aqui.
(     ) Carla chegou em casa.
(     ) Assistimos ao filme “Eclipse” na sessão das 15h.
(     ) O taxista bateu o carro.

A sequência correta é:

a) 3-4-5-2-1
b) 4-3-5-1-2
c) 3-5-4-2-1
d) 3-4-1-5-2
e) 4-3-1-5-2

25) (U.E. Maringá)  “O Brasil jovem está ‘curtindo’ o vestibular”.

Os termos destacados, no período acima, são respectivamente:

a) adjunto adverbial e objeto direto.
b) predicativo do sujeito e objeto direto.
c) adjunto adnominal e complemento nominal.
d) adjunto adnominal e objeto direto.
e) adjunto adverbial e predicativo do sujeito.

26) (E.S. Propaganda e Marketing) “Continental 2001 Grand Prix II: Nossa homenagem ao bom gosto da mulher brasileira”

As expressões destacadas são, respectivamente:

a) sujeito, complemento nominal.
b) complemento nominal, sujeito.
c) adjunto adnominal, objeto direto.
d) complemento nominal, complemento nominal.
e) complemento nominal, adjunto adnominal.

27) (Agente de trânsito - Cesgranrio - 2005) “O brasileiro com mais de 60 anos era, antes de tudo, um forte”. O termo em destaque exerce a função de:

(A) sujeito.
(B) predicativo do sujeito.
(C) objeto direto.
(D) objeto indireto.
(E) aposto.

Gabarito:

1) E   2) B  3) a) inútil    b) mentirosa    c) ilegível     d) ausentes    e) impacientes   
4) Quanto à classificação morfológica, a mesma apresenta-se idêntica, mas diverge-se quanto à sintaxe. Na 1ª oração o termo é classificado como adjunto adnominal, na segunda como predicativo do sujeito  de modo e na terceira como aposto.   5) D   6) Sim, pois no enunciado primeiro o termo em destaque atua como adjunto adnominal, uma vez que se refere a uma característica relacionada à personalidade do garoto. Já no enunciado segundo, afirmamos que se trata de um predicativo do objeto, haja vista que se trata de uma qualificação momentânea, ou seja, um estado no qual se encontrava o garoto num dado momento.   7) D   8) C   9) B   10) A diferença reside no fato de que o complemento nominal completa o sentido de um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) e o objeto indireto completa o sentido de um verbo.   11) a) com seus amigos   b) dos lucros    c) do diretor
d) com sua visita    e) à população   12) A   13) B   14) C  15) B  16) D  17) C  18) B  19) E
20) D     21) A     22) D     23) C    24) A     25) D    26) E    27) B


Nenhum comentário:

Postar um comentário