sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Conjunção definição e classificação

Artigo sobre conjunções, classificação das conjunções com questões de vestibular para um melhor aprendizado.

Conjunção

Conjunção é a palavra invariável que estabelece relação entre duas orações ou entre dois termos que exercem a mesma função sintática.

A lua volta você para as coisas práticas, mas evite desatenções.
             1ª oração                                            ^          2ª oração

(A conjunção mas está ligando duas orações).

Locução conjuntiva


Acontece quando duas ou mais palavras exercem a função de conjunção. Alguns exemplos são: desde que, assim que, uma vez que, antes que, logo que, ainda que.
Vejamos um exemplo:

Ele irá te ajudar, desde que você faça a sua parte.

Temos duas orações: “Ele irá te ajudar” e “você faça a sua parte”, ligadas pela locução conjuntiva desde que.

Classificação das conjunções

Conjunções coordenativas 

Ligam orações independentes ou termos que exerçam a mesma função sintática.


A lua volta você para as coisas práticasmas evite desatenções.
             1ª oração                                             2ª oração

(A conjunção mas está ligando duas orações que não dependem sintaticamente uma da outra, isto é, a 2ª oração não exerce nenhuma função com relação à primeira e vice-versa.)

As conjunções coordenativas são classificadas de acordo com o sentido que possuem no contexto. As principais são:

Aditivas (relação de soma, adição): e, em, (não só) mas também.


exemplos:

 Ela foi ao cinema e ao teatro.
Eu reuni a família e preparei uma surpresa.
Ele não só emprestou o joguinho como também me ensinou a jogar.

Principais conjunções aditivas: e, nem, não só…mas também, não só…como também.


Adversativas (relação de oposição): mas, porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto...

exemplos:


Os dias passam e as prestações chegam, mas a vida continua.
Não ganhei o prêmio, no entanto dei o melhor de mim.

Alternativas (relação de alternância): ou...ou, ora...ora, quer...quer.

exemplos:

Ou você sai do telefone ou eu vendo o aparelho.

 Meu cachorro ora late ora dorme.

Conclusivas

Indicam relação de conclusão: logo, pois, portanto, por conseguinte, pois (pospostos ao verbo) ...

exemplos:

Estudei muito por isso mereço passar.
Você me ajudou muito; terá, pois sempre a minha gratidão.

Explicativas

Indicam relação de justificativa: pois (anteposto ao verbo), porque, que...

exemplos:

 É melhor colocar o casaco porque está fazendo muito frio lá fora.
Não demore, que o seu programa favorito vai começar.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

As conjunções subordinativas possuem a função de estabelecer uma relação entre duas orações, relação esta que se caracteriza pela dependência do sentido de uma oração com relação a outra. Uma das orações completa ou determina o sentido da outra. As conjunções subordinativas são classificadas em: causais, concessivas, condicionais, comparativas, conformativas, consecutivas, proporcionais, finais e integrantes.

Conjunções Subordinativas Causais

Conjunções subordinativas causais são as conjunções que subordinam uma oração a outra, iniciando uma oração que exprime causa de outra oração, a qual se subordina. As conjunções subordinativas causais são: porquepoisqueuma vez quejá quecomodesde quevisto quepor isso que, etc.
Exemplo: Os balões sobem porque são mais leves que o ar.

Conjunções Subordinativas Comparativas

Conjunções subordinativas comparativas são as conjunções que, iniciando uma oração, subordinam-na a outra por meio da comparação ou confronto de ideias de uma oração com relação a outra. As conjunções subordinativas comparativas são: quedo que (quando iniciadas ou antecedidas por noções comparativas como menos, maismaiormenormelhor,pior), qual (quando iniciada ou antecedida por tal), como (também apresentada nas formas assim comobem como).
Exemplos: Aquilo é pior que isso; Tudo passou como as nuvens do céu; Existem deveres mais urgentes que outros. 

Conjunções Subordinativas Concessivas

Conjunções subordinativas concessivas são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada, se referem a uma ocorrência oposta à ocorrência da oração principal, não implicando essa oposição em impedimento de uma das ocorrências (expressão das oposições coexistentes). As conjunções subordinativas concessivas são: emboramesmo queainda queposto quepor mais queapesar demesmo quando, etc.
Exemplos: Acompanhou a multidão, embora o tenha feito contra sua vontade; A harmonia do ambiente daquela sala, de súbito, rompeu-se, ainda que havia silêncio.

Conjunções Subordinativas Condicionais

Conjunções subordinativas condicionais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, exprimem uma condição sem a qual o fato da oração principal se realiza (ou exprimem hipótese com a qual o fato principal não se realiza). As conjunções subordinativas condicionais são: secasocontanto quea não ser quedesde quesalvo se, etc.
Exemplos: Se você não vier, a reunião não se realizará; Caso ocorra um imprevisto, a viagem será cancelada; Chegaremos a tempo, contanto que nos apressemos.

Conjunções Subordinativas Conformativas

Conjunções subordinativas conformativas são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, expressam sua conformidade em relação ao fato da oração principal. As conjunções subordinativas conformativas são: conformesegundoconsoantecomo(utilizada no mesmo sentido da conjunção conforme).
Exemplos: O debate se desenrolou conforme foi planejado; Segundo o que disseram, não haverá aulas.

Conjunções Subordinativas Finais

Conjunções subordinativas finais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, expressam a finalidade dos atos contidos na oração principal. As conjunções subordinativas finais são: a fim de quepara queporque (com mesmo sentido da conjunção para que), que.
Exemplos: Tudo foi planejado para que não houvesse falhas; Cheguei cedo a fim deadiantar o serviço; Fez sinal que todos se aproximassem em silêncio. 

Conjunções Subordinativas Integrantes  

Conjunções subordinativas integrantes são as conjunções que, iniciando orações subordinadas, introduzem essas orações como termos da oração principal (sujeitos, objetos diretos ou indiretos, complementos nominais, predicativos ou apostos). As conjunções integrantes são que se (empregado esta última em caso de dúvida).
Exemplos: Joana disse que não havia o que fazer (a oração subordinada funciona, neste caso, como objeto direto da oração principal); A criança perguntou ao pai se podia sair para a rua (a oração subordinada funciona, neste caso, como objeto direto da oração principal). 

Conjunções Subordinativas Proporcionais 

Conjunções subordinativas proporcionais são as conjunções que expressam a simultaneidade e a proporcionalidade da evolução dos fatos contidos na oração subordinada com relação aos fatos da oração principal. As conjunções subordinativas proporcionais são:à proporção queà medida quequanto mais... (tanto) maisquanto mais... (tanto) menos,quanto menos... (tanto) menosquanto menos... (tanto) mais etc.
Exemplos: Seu espírito se elevava à medida que compunha o poema; Quanto mais correres,mais cansado ficarás; Quanto menos essas crianças nos incomodam, tanto mais realizamos nossas tarefas.

Conjunções Subordinativas Temporais

Conjunções subordinativas temporais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada, tornam essa oração um índice da circunstância do tempo em que o fato da oração principal ocorre. As conjunções subordinativas temporais são: quandoenquanto,logo queagora quetão logoapenas (com mesmo sentido da conjunção tão logo), toda vez quemal (equivalente a tão logo), sempre que, etc.
Exemplos: Quando chegar do trabalho, me avise; Enquanto todos estavam fora, não limpou a casa.

conjunções questões vestibular

1) (UEL-PR) Não gostava muito de novelas policiais; admirava, porém, a técnica de
seus autores.

a) visto como      b) enquanto       c) conquanto       d) porquanto      e) à medida que


2)  (PUC-SP) Assinale a alternativa que possa substituir, pela ordem, as partículas de transição dos períodos abaixo, sem alterar o significado delas.

"Em (primeiro lugar), observemos o avô. (Igualmente), lancemos um olhar para a avó.
(Também) o pai deve ser observado. Todos são altos e morenos.
(Conseqüentemente), a filha também será morena e alta."

a) primeiramente, ademais, além disso, em suma
b) acima de tudo, também, analogamente, finalmente
c) primordialmente, similarmente, segundo, portanto
d) antes de mais nada, da mesma forma, por outro lado, por conseguinte
e) sem dúvida, intencionalmente, pelo contrário, com efeito

3) (CESGRANRIO-RJ) Assinale o período em que ocorre a mesma relação significativa indicada pelos termos destacados em "A atividade científica é tão natural (quanto qualquer outra atividade econômica)".

a) Ele era tão aplicado, que em pouco tempo foi promovido.
b) Quanto mais estuda, menos aprende.
c) Tenho tudo quanto quero.
d) Sabia a lição tão bem como eu.
e) Todos estavam exaustos, tanto que se recolheram logo.

4)  (FUVEST-SP) "Podem acusar-me: estou com a consciência tranqüila." Os dois pontos (:) do período acima poderiam ser substituidos por vírgula, explicitando-se o nexo entre as duas orações pela conjunção:

a) portanto.        b) e.       c) como.        d) pois.         e) embora.

5) (PUC-SP) No período: "Da própria garganta saiu um grito de admiração, que Cirino acompanhou, (embora) com menos entusiasmo", a palavra destacada expressa uma idéia de:

a) explicação.        b) concessão.     c) comparação.       d) modo.          e) consequência.

6) (UNIMEP-SP) "Apenas se viu cruzando a linha de chegada, começou a gritar de alegria."
Comece com: Começou a gritar de alegria,

a) conquanto.      b) à medida que       c) tanto que        d) já que               e) contudo


7) (VUNESP-SP) (   ) a esposa estar, há muito tempo, longe de casa, o marido não sente sua falta, (    ) se rodeia de amigos, (    ) comemorar sua liberdade.

8) (FUVEST-SP) "Que não pedes um diálogo de amor, é claro, (desde que impões) a
cláusula da meia-idade."

O segmento destacado poderia ser substituído, sem alteração do sentido da frase, por:

a) desde que imponhas.
b) se bem que impões.
c) contanto que imponhas.
d) conquanto imponhas.
e) porquanto impões.

9) No período "Os banqueiros já puderam comemorar o investimento, pois o índice de risco e de instabilidade do Brasil caiu", a conjunção pois estabelece uma relação de:

a) explicação            b) oposição        c) condição           d) causa               e) comparação

10) A análise de uma conjunção está intrinsecamente ligada ao contexto no qual é empregada, visto que um mesmo conectivo pode apresentar distintas classificações, em se tratando de um dado enunciado linguístico. Com base nas informações prestadas e, sobretudo, em seus conhecimentos, analise os casos em evidência, com vistas a apontar o tipo de relação estabelecida.

a) Como não tinha se preparado para o exame avaliativo, seu desempenho não foi satisfatório.
b) Realizamos o trabalho como nos foi determinado.
c) Era linda como uma flor, e meiga como um anjo.
d) Não procurava interagir com ninguém, como resultado, foi excluída do grupo.

11) Identifique e classifique as conjunções coordenativas dos períodos a seguir:

a) Ora xingava a mãe do juiz, ora reclamava dos jogadores.
b) O pai procurou o filho e humildemente pediu-lhe desculpas.
c) Não corra, que é perigoso.
d) O professor não só veio como vai dar prova.
e) Ele foi eleito, porém suas loucuras não tinham o apoio da população.


12) :Identifique o POIS como conjunção coordenativa explicativa ou conjunção coordenativa conclusiva:

a) Deitei-me cedo, POIS estava muito cansado.
b) O político não agiu com lealdade; perdeu, POIS, na disputa pela reeleição.
c) O aluno não estudou o suficiente; ficou, POIS, reprovado.
d) As mulheres entendem de economia, POIS são elas as responsáveis pela organização do orçamento familiar.


13) No período: "Paulo gritou tanto, que ficou rouco", a conjunção "que" estabelece, entre a oração principal e a oração adverbial, uma relação de:

a) comparação
b) causa
c) conseqüência
d) concessão
e) conformidade

14) Quanto mais vemos o que há de bom em nós, mais vemos o que há de bom nos demais”.
Existe no período composto acima, uma clara relação de:

a) conformidade
b) causalidade
c) proporcionalidade
d) comparação
e) tempo


15)  (AFR-Vunesp) A alternativa que substitui, correta e respectivamente, as conjunções ou locuções grifadas nos períodos abaixo é:

I.       Visto que pretende deixar-nos, preparamos uma festa de despedia.

II.    Terá sucesso, contanto que tenha amigos influentes.

III. Casaram-se e viveram felizes, tudo como estava escrito nas estrelas.

IV. Foi transferido, portanto não nos veremos com muita frequência.

a)      porque, mesmo que, segundo, ainda que
b)      como, desde que, conforme, logo
c)      quando, caso, segundo, tão logo
d)     salvo se, a menos que, conforme, pois
e)      pois, mesmo que, segundo, entretanto

16)  (Mackenzie- SP) Assinale “como” assume a mesma função que exerce em como fosso trazido à sua presença um pirata.

a)      Como você conseguiu chegar até aqui?
b)      Como todos podem ver, a situação não é das melhores.
c)      Não só leu os livros indicados, como também outros de interesse pessoal.
d)     Como não telefonou, resolvi procurá-lo pessoalmente.
e)      O arquiteto projetou o jardim exatamente como lhe pediram.

Gabarito:

1) C    2) D    3) D    4) D    5) B    6) C   7) B    8) E    9) A   10) a) relação de causa  b) conformidade
c) comparação    d) consequência   11) a) Ora ... ora: alternativas      b) e: aditiva      c) que: explicativa
d) como: aditiva     e) porém: adversativa      12) a) explicativa       b) conclusiva      c) conclusiva
d) explicativa    13) C    14) C    15) B    16) D










Nenhum comentário:

Postar um comentário