sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Crise do século XIV: Peste negra e revoltas camponesas - resumo

Artigo sobre a crise do século XIV - peste negra e revoltas camponesas com questões de vestibulares para um melhor aprendizado

Peste negra

A peste negra ficou conhecida na história como uma doença responsável por uma das mais trágicas epidemias que assolaram o mundo Ocidental. Chegando pela Península Itálica, em 1348, essa doença afligiu tanto o corpo, quanto o imaginário de populações inteiras que sentiam a mudança dos tempos por meio de uma manifestação física. Assim como a Aids, a peste negra foi considerada por muitos um castigo divino contra os hábitos pecaminosos da sociedade.

Conforme alguns pesquisadores, a peste negra é originária das estepes da Mongólia, onde pulgas hospedeiras da bactéria Yersinia pestis infectaram diversos roedores que entraram em contato com zonas de habitação humana. Na Ásia, os animais de transporte e as peças de roupa dos comerciantes serviam de abrigo para as pulgas infectadas. Nos veículos marítimos, os ratos eram os principais disseminadores dessa poderosa doença. O intercâmbio comercial entre o Ocidente e o Oriente, reavivado a partir do século XII, explica a chegada da doença na Europa.

O contato humano com a doença desenvolve-se principalmente pela mordida de ratos e pulgas, ou pela transmissão aérea. Em sua variação bubônica, a bactéria cai na corrente sangüínea, ataca o sistema linfático provocando a morte de diversas células, e cria dolorosos inchaços entre as axilas e a virilha. Com o passar do tempo, esses inchaços, conhecidos como bubões, se espalham por todo corpo. Quando ataca o sistema circulatório, o infectado tem uma expectativa de vida de aproximadamente uma semana.

Além de atacar o sistema linfático, essa doença também pode atingir o homem pelas vias aéreas atacando diretamente o sistema respiratório. Essa segunda versão da doença, conhecida como peste pneumônica, tem um efeito ainda mais devastador e encurta a vida do doente em um ou dois dias. Em outros casos, a peste negra também pode atingir o sistema sanguíneo  Desprovida de todo esse conhecimento científico sobre a doença, a Europa medieval explicava e tratava da doença de formas diversas.

Desconhecendo as origens biológicas da doença, muitos culpavam os grupos sociais marginalizados da Baixa Idade Média por terem trazido a doença à Europa. Alguns registros da época acusavam os judeus, os leprosos e os estrangeiros de terem disseminado os horrores causados pela peste negra. No entanto, as condições de vida e higiene nos ambientes urbanos do século XIV são apontadas como as principais propulsoras da epidemia.

Na época, as cidades medievais agrupavam desordeiramente uma grande quantidade de pessoas. O lixo e o esgoto corriam a céu aberto, atraindo insetos e roedores portadores da peste. Os hábitos de higiene pessoal ofereciam grande risco, pois os banhos não faziam parte da rotina das pessoas. Além disso, os aglomerados urbanos contribuíram enormemente para a rápida proliferação da peste. Ao chegar a uma cidade, a doença se instalava durante um período entre quatro e cinco meses.

Depois de ceifar diversas vidas, esses centros urbanos ficavam abandonados. Os que sobreviviam à doença tinham que, posteriormente, enfrentar a falta de alimentos e a crise sócio-econômica instalada no local. Por isso, muitas cidades tentavam se precaver da epidemia criando locais de quarentena para os infectados, impedindo a chegada de transeuntes e dificultando o acesso aos perímetros urbanos. Sem muitas opções de tratamento, os doentes se apegavam às orações e rituais que os salvassem da peste negra.

A intensidade com que a epidemia afetou os centros urbanos europeus era bastante variada. Em casos mais extremos, cerca de metade de uma população inteira não resistia aos efeitos devastadores da epidemia. Estudiosos calculam que cerca de um terço de toda população européia teria sucumbido ao terror da peste. Ao mesmo tempo em que a peste negra era compreendida como um sinal de desgraça, indicava o colapso de alguns valores e práticas do mundo feudal.

Revoltas camponesas



Houve uma revolta que ocorreu entre 28 de Maio e 24 de Junho, na França, o nome dessa revolta é A Jacquerie, o motivo dessa revolta foi pelo fato de depois de a Peste Negra ter acontecido, (com as pessoas menos favorecidas), a população ficou desnorteada com tantas mortes, e a França naquele período, passava por momentos em que mercenários caminhavam por lá, sendo assim, a França estava à mercê desses saqueadores.
Muitos senhores que foram atacados mesmo passando muito tempo, ainda temiam que essas revoltas ocorressem novamente. Essa revolta foi só o começo do que iria acontecer. 
Depois ocorreram outras revoltas depois dessa, ocorreu no ano de 1381, conhecida como rebelião de Tyler em que seus principais organizadores eram John Ball, Wat Tyler e Jack Straw. Essas revoltas se deram pelo fato de muitas pessoas que trabalhavam terem morrido e para que o rendimento do trabalho não diminuísse, os chamados senhores feudais, acabaram fazendo com que os poucos servos que tinham trabalhassem dobrado e tivessem mais horas de trabalho e pagassem dobrado os impostos “cobrindo” assim aqueles que morreram. 
Os camponeses revoltados e cansados de serem explorados acabaram fazendo entre si uma “união”, formando revolta por todo o lugar que passavam, invadiam castelos e mataram até alguns daqueles que os exploravam.
Apesar do seu nome, a participação na revolta não se restringiu aos servos ou mesmo às classes baixas e embora os eventos mais significativos tenham tido lugar na capital, houve recontros violentos por todo o leste de Inglaterra. No entanto, os envolvidos logo se dispersaram nos meses que se seguiram.
Ainda que o movimento em geral seja considerado como um fracasso, teve êxito em mostrar aos camponeses que eles tinham algum valor e poder. Após a revolta, o termo poll tax não foi mais utilizado, ainda que os governos ingleses continuassem a coletar subsídios similares até o século XVII.
Como resultado das revoltas os senhores feudais acabaram organizando vários exércitos, para controlar os camponeses, mas não conseguiram por muito tempo, pois os camponeses revoltados estavam crescendo, e os senhores não tinham mais controle sobre eles, fazendo com que as explorações diminuíssem.

Fonte: http://www.brasilescola.com/

           http://www.colegioweb.com.br/
          http://professor.bio.br/

Questões 

1) (Unifor-CE) A situação de extrema miséria no campo, em virtude das calamidades naturais, aliada à opressão das obrigações servis, levou os camponeses da Europa medieval a se revoltarem contra a nobreza. Dessas insurreições, as mais significativas foram:

a) As Lutas em Poitiers, em 1355, e a Revolta de Brétingny, em 1356.
b) A Jacquerie de 1358, na França, e a rebelião dos Lollards, em 1381, na Inglaterra.
c) A de Bertrand Duglesclin, em 1364, e a Rebelião dos Armagnacs, em 1380.
d) A tomada do forte de Orleans por Joana D’arc, em 1429, e a Rebelião dos Borguinhões, em 1430.
e) A conquista de Bordeaux, em 1453, e o conflito com o bispo inglês Thomas Becket.

2) As Jacqueries na França, ocorridas no século XIV, convulsionaram o mundo rural do país, caracterizando o pioneirismo francês nas revoltas que iriam ocorrer em quase toda a Europa Ocidental, na Baixa Idade Média. Sobre as Jacqueries, responda:

Por que essas revoltas foram assim denominadas?

3) As revoltas camponesas evidenciaram que o mundo feudal não foi um período de harmonia entre senhores e servos como era dito por clérigos medievais. Sobre os motivos que levaram a surgir estes conflitos nos campos europeus, no século XIV, assinale a alternativa incorreta:

a) A peste negra diminuiu o número da mão de obra disponível para o trabalho, intensificando a exploração dos que ficaram vivos.
b) A diminuição da produção em decorrência da peste negra e fatores climáticos levaram os senhores feudais a ampliarem a quantidade impostos cobrados.
c) A diminuição da mão de obra forçou os senhores a ampliarem os entraves para a saída dos servos de suas terras.
d) As mudanças climáticas não influenciaram na eclosão dos conflitos

4) A peste negra, que dizimou cerca de um terço da população européia, as revoltas camponesas ocasionadas pelo precário equilíbrio da produção agrícola  foram responsáveis:

a) pela formação da sociedade feudo-clerical.
b) pela crise dos senhores fedais.
c) pelo fortalecimento da nobreza em detrimento do poder real.
d) pela aceleração da crise do absolutismo.
e) pela crise do feudalismo e consolidação do poder real.

5) A peste, a fome e a guerra constituíram os elementos mais visíveis e terríveis do que se conhece como a crise do século XIV. Como conseqüência dessa crise, ocorrida na Baixa Idade Média,

a) o movimento de reforma do cristianismo foi interrompido por mais de um século, antes de reaparecer com Lutero e iniciar a modernidade;
b) o campesinato, que estava em vias de conquistar a liberdade, voltou novamente a cair, por mais de um século, na servidão feudal;
c) o processo de centralização e concentração do poder político intensificou-se até se tornar absoluto, no início da modernidade;
d) o feudalismo entrou em colapso no campo, mas manteve sua dominação sobre a economia urbana até o fim do Antigo Regime;
e) entre as classes sociais, a nobreza foi a menos prejudicada pela crise, ao contrário do que ocorreu com a burguesia.

6) Dentre as desordens sociais observadas durante a crise do século XIV, destacam-se as insurreições camponesas na França (Jacquerie - 1358) e na Inglaterra (Rebelião de Wat Tyler - 1381). Tais movimentos se encontram associados, EXCETO:

a) ao avanço dos cercamentos expulsando os camponeses.
b) à situação de extrema miséria verificada no campo.
c) ao elevado nível de opressão das obrigações servis.
d) às calamidades naturais ocorridas no período em questão.

7) (UFPR) Sobre o período final da Idade Média, aproximadamente entre os séculos XIV e XVI, da história da Europa Ocidental, assinale a(s) alternativas(s) correta(s).

01) Nesse período, ocorreu uma série de revoltas camponesas e urbanas. Na França, as revoltas camponesas ficaram conhecidas pelo nome de Jacqueries.
02) O crescimento das cidades possibilitou um desenvolvimento da infra-estrutura urbana, com a construção de redes de esgoto e de água encanada. Esse fato tornou possível que, já naquela época, a Europa não vivesse problemas de saneamento urbano.
04) A desintegração do feudalismo, verificada no período, pode ser atribuída ao sucesso militar das Cruzadas e da bem sucedida expansão da sociedade feudal pelo Oriente.
08) A eclosão da peste negra, aproximadamente na metade do século XIV, dizimou uma parcela significativa da população européia.
16) Entre as características do século XVI, destacam-se: a crise das relações de trabalho servis, o crescimento do comércio e da economia monetária.

8) A dissolução do Feudalismo foi apressada, no final da Idade Média, por uma sucessão de acontecimentos que geraram a chamada "crise do séc. XIV". Entre esses acontecimentos é correto citar:

a) Epidemias, como a Peste Negra, originadas principalmente da falta de estrutura das cidades para suportar o aumento populacional e enfrentar o problema da fome.
b) Grande Fome, manifestada neste século, devido ao grande número de pragas que destruíram as plantações.
c) Revolta dos Camponeses; estes, sem ter o que comer, abandonaram os campos e causaram muitas mortes nas cidades.
d) Epidemias, como a Peste Bubônica, que matou cerca de 2/3 de toda a população da Europa.

9) A partir de 1348, irrompeu na Europa, proveniente do continente asiático, a chamada Peste Negra. Seu efeito foi devastador, chegando a provocar a morte de mais de 25% da população européia durante o século XIV. Sobre a Peste Negra, podemos afirmar que:

a) A epidemia foi responsável pela recuperação econômica da Europa medieval após séculos de retração e crises de abastecimento.
b) Comunidades judaicas foram responsabilizadas pela epidemia e perseguidas pelos cristãos, que acionavam o sentimento antijudaico existente na Idade Média.
c) A epidemia provocou a busca de novas terras protegidas do contágio com a peste, resultando na conquista do norte da África e da Palestina pelos europeus.
d) A epidemia freou o processo de dissolução do feudalismo e provocou a implementação de práticas escravistas em toda a Europa Ocidental.
e) A epidemia foi controlada ao final da Idade Média e desapareceu completamente do território europeu nos séculos XVI e XVII.

10) pergunta:No ano de 1348, a peste negra devastou a Europa e ceifou um terço de sua população. Analise as afirmações a seguir sobre essa catástrofe. I. Veio da Ásia pela rota da seda, em virtude do comércio estabelecido por negociantes genoveses e venezianos. II. Ocorreu num século de retração da economia européia, marcado por várias revoltas camponesas, e contribuiu para o enfraquecimento do feudalismo. III. Atingiu indiscriminadamente as várias categorias sociais, tanto das cidades como das áreas rurais, como ocorria com uma outra doença comum na época, a lepra. Com base nas três assertivas, é correto afirmar que somente:

a) I é correta
b) II é correta
c) III é correta
d) I e II são corretas
e) II e III são corretas

11) (UFSC) Na Idade Média, entre os séculos XII e XV, verificou-se uma ascensão da economia européia. No entanto, dentro desse período, em meados do século XIV, ocorreu uma significativa retração econômica. Em relação a este assunto, é CORRETO afirmar que: 

(01) a crise econômica verificada em meados do século XIV se deveu às Cruzadas, movimento religioso que deslocou milhares de homens em idade produtiva rumo ao Oriente Médio. 
(02) a Peste Negra acarretou uma drástica diminuição da população, com reflexos diretos na economia. 
(04) tudo indica que a Peste Negra originou-se no Oriente, matando mais de um terço da população européia. 
(08) a crise econômica gerada pela Peste Negra foi o marco decisivo para o fim do sistema feudal. (16) como forma de fugir da Europa infectada pela Peste Negra, milhares de europeus se dispuseram a seguir as Cruzadas para libertar Jerusalém sitiada. (32) a ascensão econômica entre os séculos XII e XV foi uma realidade exclusiva dos países ibéricos, em função das grandes navegações lá iniciadas.

12) (UFPB 2008) Entre 1348 e 1350, a Europa sofreu um abalo demográfico, provocado pela Peste Negra, com graves repercussões na organização social e econômica de várias regiões. Sobre essa terrível doença e seus impactos históricos, assinale a(s) alternativa(s) verdadeira(s).

1) A Peste Negra,  iniciada na China, chegou à Europa por volta de meados do século XIV. Essa doença foi levada por comerciantes e viajantes que cruzavam as rotas comerciais do Império Mongol.
2) A Península Ibérica, devido ao seu isola­mento,  foi a única região da Europa não atingida pela calamidade. Por isso, tornou-se área de refúgio de religiosos e grandes pro­prietários de outras regiões.
4) A Peste Negra, como impacto especifica­mente demográfico, eliminou de 25 a 35% do conjunto da população européia. No entanto, devido a seus efeitos desiguais, al­gumas regiões sofreram perdas de mais de 60% de seus habitantes.
8) A Peste Negra foi mais forte no campo do que nas cidades, mas curiosamente não atingiu as comunidades religiosas. Esse fator contribuiu para o maior fortalecimento do poder da Igreja.

13) (CEFET - MG) A peste negra, que dizimou grande parte da população européia no século XIV, provocando escassez de mão-de-obra e alimentos, e sendo uma das causas da decadência do feudalismo, pode ser descrita como:

a) a peste bubônica, transmitida por ratos infectados.
b) uma seca violenta que devastou as lavouras.
c) Nuvens de gafanhotos provenientes do norte da África.
d) a cólera, trazida pelos cruzados quando retornavam da terra santa.
e) fungos que surgiram pelo excesso de umidade, atacando as plantações de cereais.

14) (FUVEST – 1999) A peste, a fome e a guerra constituíram os elementos mais visíveis e terríveis do que se conhece como a crise do século XIV. Como conseqüência dessa crise, ocorrida na Baixa Idade Média,
 
a) o movimento de reforma do cristianismo foi interrompido por mais de um século, antes de reaparecer com Lutero e iniciar a modernidade;
b) o campesinato, que estava em vias de conquistar a liberdade, voltou novamente a cair, por mais de um século, na servidão feudal;
c) o processo de centralização e concentração do poder político intensificou-se até se tornar absoluto, no início da modernidade;  
d) o feudalismo entrou em colapso no campo, mas manteve sua dominação sobre a economia urbana até o fim do Antigo Regime;
e) entre as classes sociais, a nobreza foi a menos prejudicada pela crise, ao contrário do que ocorreu com a burguesia.
 


Gabarito:

1) Letra B. A importância das duas revoltas está ligada ao fato de ter ganhado grande amplitude na França, no caso das Jacqueries; e no caso inglês, por ter representado o começo do fim da servidão no país.
2) Essas revoltas foram assim denominadas em decorrência da expressão “Jacques bom homme”, que significa Jacques, o simples, um apelido pejorativo dado aos camponeses no período.
3) Letra D. As mudanças climáticas influenciaram a eclosão das revoltas pelo fato de diminuir a quantidade de alimentos produzidos, acarretando aumento de impostos e intensificação do trabalho, além, é claro, de ter causado fome.
4) E
5) C
6) A
7) 1 + 8 + 16 = 25
8) A
9) B
10) D
11) 2 + 4 = 6
12) 1 + 4 = 5
13) A
14) C

Nenhum comentário:

Postar um comentário